.

.

28 março 2013

FELIZ PÁSCOA!


O lindo modelo do cartão é meu neto 
ANTHONY
Beijos no coração de vocês!

22 março 2013

Possibilidades


Como uma luz ou

como uma dança,
entrego-me às possibilidades,
à urgência da vida,
à violência do medo,
à loucura do tempo.
E, como os deuses, fico
colhendo surpresas...
colecionando caminhos...
arquivando enganos.
Me armo e me equivoco.


Apolinário Ternes



17 março 2013

As estradas



As estradas que sempre iam,
continuam indo, a despeito de mim
que por hora estou voltando...

Mas quando não houver
mais estradas para quem vai,
suave será a carona dos riachos
que são estradas feitas de lágrimas
de saudade dos amores viajados.

Continuarão, como os dias e as noites,
na direção do reino do nunca mais...
E como as rosas num leito de orvalho,
é possível que eu me reencontre comigo
em qualquer curva do crepúsculo
para o vasto espanto das manhãs
que terei deixado para trás...

E não posso evitar que seja assim:
as estradas levando a memória
do quanto eu ando de rosas
nas veredas do meu jardim...

Afonso Estebanez



10 março 2013

Confessa...



A tua solidão é tão vasta quanto a minha. Confessa.
Tuas noites são povoadas por saudades. 
E memórias.
Tu também olhas pela janela nas altas madrugadas 
desejando um amor. Em segredo.
Tu também te perdes, caminhos errados, pessoas

estranhas – o santo não bate, lembra?

Ninguém desconfia das tuas angústias. 
Nem mesmo eu.
E então, com meia dúzia de palavras bonitas, 
mas difíceis, tu te desnudas. Sem querer?
Não te imagino intencional. 
És um aviãozinho de papel a vagar pelos ventos sem rumo.
Engana-te se achas que é possível ser 
terrivelmente feliz nestes esconderijos.
Abre-te para os encantos. 
É lá que moram os olhares encontrados,
a pele arrepiada, pé que encosta no outro sem aviso. 
As mãos dadas.
Tu me encantas. Longe, perto, sem saber...

Paula Pfeifer



07 março 2013

08 de Março - Dia Internacional da Mulher




Uma mulher tem que ter qualquer coisa 
além da beleza, 
Qualquer coisa de triste, 
qualquer coisa que chora, 
Qualquer coisa que sente saudade. 
Um molejo de amor machucado, 
Uma beleza que vem da tristeza 
de se saber mulher,
Feita apenas para amar, 
para sofrer pelo seu amor 
E para ser só perdão.

Vinicius de Moraes


06 março 2013

Assim



Assim,

Começou assim
Uma coisa sem graça
Coisa boba que passa
Que ninguém percebeu

Assim,

Depois ficou assim
Quis fazer um carinho,
Receber um carinho,
E você percebeu

Fez-se uma pausa no tempo

Cessou todo meu pensamento
E como acontece uma flor
Também acontece o amor

(...)
Tom Jobim


03 março 2013

Vem passear à beira mar


Chegam as primeiras chuvas anunciando
o fim de um tempo escaldante de verão.
Distanciam-se os dias de luar e cio,
fica o canto, a vibração, a nostalgia,
fragmentos de risos, sonhos e ilusão.

A praia sem a obrigação de ser verão,
serenamente perde-se na linha do horizonte.
Os dias continuarão mornos e ensolarados.
E ao fim da tarde o sol fará sua despedida
em coloridos raios até morrer atrás do monte.

Um vento errante há de vagar sobre a praia,
anunciando teatralmente o fim da estação,
soprando emoções quebradas na areia,
como a despedida dos amores de verão.

Sônia Schmorantz




Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.