.

.

24 janeiro 2014

Pássaro solitário


Pássaro solitário,
como é difícil abranger-te !
Nem sei como defender-te,
incomensurável que és.
Num só crepúsculo,
Passeias todas as paisagens,
visitas todas as terras,
e te recolhes triste
À morada que te serve
De cárcere…



Dantas Mota



3 comentários:

Ricardo- águialivre disse...

A solidão aqui muito bem expressa. Mas nem sempre a solidão é má...

Desejo um fim de semana muito feliz
Cumprimentos
*********************************
http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde

Maravilhoso....
Gostei

Beijo

Bom fim de semana

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Daniel Costa disse...

Belo poema, de certo modo lamentando o pássaro engaiolado.

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.