.

.

01 janeiro 2014

Vinde...


Vinde. 
Vamos tocar janeiro,
 vamos por fevereiro e março e abril e maio, 
e tudo que vier; 
durante o ano a gente o esquece, e se esquece; 
é menos mal. 
E às vezes, ao dobrar uma semana ou quinzena, 
às vezes dá uma aragem. 
Dá, sim; dá, e com sombra e água fresca. 
E quem diz é quem já pegou muito no sol nos desertos 
e muito mormaço nas charnecas da existência. 
Coragem, a Terra está rodando; vosso mal terá cura. 
E se não tiver, refleti que 
no fim todos passam e tudo passa; 

o fim é um grande sossego e um imenso perdão.

Rubem Braga



4 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

...e o tempo passa e tudo se troca e se revolta...
No fim a paz.
Desejo um bom ano 2014

Cidália Ferreira disse...

Bom dia

O tempo vai passando e nada muda... ao menos que não seja pior..


Feliz Ano
Beijinho

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Pedra do Sertão disse...

Sônia querida,

Mais um ano de blog-amizade...cheiinho de imagens [poéticas] lindas e radiantes,

Abração do Pedra do Sertão

Só para não esquecer:
www.pedradosertao.blogspot.com.br

Daniel Costa disse...

Sonia, que belo e interessante poema é este de Rubem Braga, Sempre a tua sensibilidade à vista. Já não falar das fotos.
Desejo um Bom Ano de 2014, de paz e harmonia.

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.