.

.

05 janeiro 2014

Aprendemos


Depois de algum tempo,
aprende-se a subtil diferença
entre tomar uma mão
e aprisionar uma alma,
e aprende-se
que o amor não significa deitar-se
e uma companhia não significa segurança
e começamos a aprender…
Que os beijos não são contratos
e os presentes não são promessas
e começamos a aceitar as nossas derrotas
de cabeça erguida e de olhos abertos
e aprendemos a construir
os nossos caminhos no hoje,
porque o terreno do amanhã
é demasiado inseguro para planos…
e os futuros ficam-se pela metade.
E depois de algum tempo
aprende-se que se for de mais
até o calorzito do sol queima.
Daí que plantemos o nosso próprio jardim
e decoremos a própria alma,
em vez de esperar que alguém nos traga flores.
E aprendemos que realmente podemos aguentar,
que realmente somos fortes,
que valemos realmente,
e aprendemos, aprendemos…
e com cada dia aprendemos.

Jorge Luís Borges


3 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Bom dia

Que maravilha...Adorei


Tenha uma excelente semana


beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Evanir disse...


Você será sempre insubstituível dentro do meu coração,
o mundo é bom e Deus é sábio e generoso pois
faz pessoas como você atravessarem nosso caminho,
fazendo agente mais feliz.
Que seja sempre assim porque dessa
maneira eu terei certeza que nunca estarei só,
ter sua amizade é ter a benção da vida.
Que Deus abençoe sua vida e nossa amizade
pois o amor de uma grande amizade que nunca morre.
Beijos e minha sincera amizade.
Um feliz e abençoado Domingo .
Que Jesus aqueça sempre nosso coração
abençoando nossa infinita amizade.
Até Sempre: Evanir.
Te deixei um carinho na postagem.

Eduardo Aleixo disse...

Poema magnífico, este, de Borges. Aprendemos sempre. Com ele. Com a vida.
Beijo.

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.