.

.

10 fevereiro 2014

Eu vi os anos passarem...



Eu vi os anos passarem
Primaveras mudarem de cor
Vi o pintor brincar com a arte
Na tela da face que mudou.

Eu vi o sol abrir o céu
Vergel em nuvens brancas
Vi os barcos de papel
Remarem minha criança.

Eu vi tantas vistas
Tantas pistas de esperança
Vi artimanhas embutidas
Num canto da lembrança.

Eu vi a dança do vento 
No tempo que passou
E o que restou dos momentos
Que a vida expirou.

Eu vi o tempo esvair
Ao perseguir os sonhos
Vi o tamanho do porvir
E seguir os anos.

E assim passará o tempo
Levando os momentos e me deixando 
Ficando eu, sigo vivendo 
E a vida me espiando.

Ivone Alves Sol.


7 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Bom dia

Fantástico, Adorei


Beijo
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Daniel Costa disse...

Sônia, primas sempre pelas boas escolhas de poemas. Quem gosta de boa poesia como eu. Gosta de passar pela tua ilha.
Abraço

Eloah disse...

Se eu vi é porque vivi.
Lindo!
Bjs Eloah

Agulheta disse...

Muito lindo o poema e sua ilustração.
Beijinhos e Amizade

UIFPW08 disse...

Parabens linda foto
Morris

Eloah disse...

Sônia lindo o poema,tuas fotos maravilhosas, principalmente do príncipe que é teu netinho.
Belos dias.Bjs Eloah

Graça Pereira disse...

E por tanto teres visto...tens a alma cheia de encanto!
Adorei o poema.
Depois de uma ausência...voltei ao meu blogue Zambeziana...para ficar!
Saudades dos amigos...saudades de ler tanta coisa bonita que vocês escrevem..E na ilha tudo continua belo...como sempre foi.

Um beijo
Graça

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.