.

.

29 março 2014

Um dia...


Um dia virá
em que a minha porta
permanecerá fechada
em que não atenderei o telefone
em que não perguntarei
se querem comer alguma coisa
em que não recomendarei
que levem os casacos
porque a noite se adivinha fresca.

Só nos meus versos poderão encontrar
a minha promessa de amor eterno.

Não chorem; eu não morri
apenas me embriaguei
de luz e de silêncio.

Rosa Lobato de Faria.



3 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Bom dia

Soberbo poema da Rosa Lobato de Faria. Grande Senhora..

Tenha um Domingo muito feliz.

Beijo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Elvira Carvalho disse...

Uma grande mulher, uma excelente poetisa. E quando assim é a morte nunca é esquecimento, porque ganharam o direito à imortalidade.
Um abraço e bom domingo

Graça Pereira disse...

Maravilhoso poema da Rosinha...tão delicado como ela. Saudades desta Mulher...
Beijo e boa semana
Graça

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.