.

.

13 maio 2014

Parte...


Parte, e tu verás 
Como as coisas que eram, não são mais 

E o amor dos que te esperam 
Parece ter ficado para trás 
E tudo o que te deram 
Se desfaz. 



Parte, e tu verás 
Como se quedam mudos os que ficam 
Como se petrificam 
Os adeuses que ficaram a te acenar no cais 
E como momentos que passaram apenas 
Perecem tempos imemoriais. 



Parte, e tu verás 
Como o que era real, resta impreciso 
Como é preciso ir por onde vais 
Com razão, sem razão, como é preciso 
Que andes por onde estás. 

(...)

Vinicius de Moraes.




4 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Bom dia

Parabéns pelo maravilhoso poema!
As imagens são lindissimas.

Beijinhos
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Ricardo- águialivre disse...

Poema e imagens divinas...Maravilhoso mesmo

Deixo cumprimentos
**************
http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Arantza G. disse...

Bonito poema.
Un placer visitarte y saludarte.
Besos y un gran abrazo

ARO disse...

Vuelvo a tu casa después de una larga ausencia y encuentro la misma belleza poética de siempre. Un saludo.

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.