.

.

01 agosto 2015

Um poemeto de Mia Couto


Criança, eu sabia
suspender o tempo,
soterrar abismos
e nomear as estrelas.
Cresci,
perdi pontes,
esqueci sortilégios.


Mia Couto.




2 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Acontece com todos, mas só os privilegiados sabem dizê-lo desta forma.
Um abraço e bom domingo

Cidália Ferreira disse...

Brilhante postagem-
Flores lindas.

Bom Domingo
Beijos
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.