.

.

21 julho 2008



Quisera em teu corpo mergulhar como se fosse o mar.
Ir até o fundo sem mágoas ou medos, flutuando
Ao sabor das tuas ondas, com a cabeça mergulhada
Em teu peito...
Sob a clara luz da lua cheia, que entra pela janela.
Ao som suave das ondas quebrando na praia,
A ti vou revelar meus anseios, minhas dúvidas.
Entrelaçando meu corpo ao teu, afogarei minha alma,
Até que um cheiro de amor venha do mar e de você,
Inundando o quarto, seduzindo a noite...
Quisera dar-te o mar que tanto amo também,
O tranqüilo mar da nossa ilha e essa linda madrugada.
Quisera te fazer acreditar nesse amor, no mudo assombro da
Minha alma diante de ti,
Nos murmúrios místicos do meu coração quando nos tocamos
Sob a lua dessa ilha...
Quisera eu penetrar no teu coração agora, nesse momento em que lês,
Conhecer a profundeza dos teus pensamentos, para sair
Dos momentos de indecisão e inquietação,
Quisera mesmo, é ouvir tua voz dizendo que está tudo bem.
Que o sonho ainda perdura na imensidão do nosso coração,
E que todas estas rimas não rimadas desta minha inspiração,
Palavras que escondo no azul do céu e no fundo mar,
Pintem de azul o nosso dia para que estejamos sempre bem.
Meu amor, azul da cor do mar, está aqui,
É só acreditar e vir buscar....

Sônia Schmorantz

Um comentário:

Sonia Regly disse...

Doce amiga!!!
Ainda bem que achei de novo seu Espaço. O endereço que vc me mandou não abre, volta para o meu Blog.Beijinhos.

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.