.

.

06 dezembro 2008



O sol beija o mar e se despede,
Em seu lugar estará em breve a lua.
Refúgio dos solitários,
Encanto dos enamorados...
Pobre lua que do alto ouve as queixas
E talvez entenda de solidão.
Talvez entenda de amor...
Pobre lua que só sabe iluminar o mar.
Seu riso de prata seduz mas não responde
Aos pedidos que lhe fazem os
Solitários e os namorados...
Toda noite é assim, e
Quando o mar novamente acordar,
Haverá apenas pedaços de luar...

Sônia

3 comentários:

UMA PAGINA DE AMOR disse...

Sempre ouvi dizer que a Lua era dos namorados...
Ela é a maravilhosa!
Assim como você Sônia...
Amo ler o que escreve, lindo muito lindo.
Beijos te amo

poetaeusou . . . disse...

*
é ao luar
em mim cingido
que o mar
reluz
noite de prata
que me seduz
como um vento na ilha
cortante quilha
que me arrebata
,
conchinhas de amizade
envio
,
*

Aníbal Raposo disse...

Bonito poema.

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.