.

.

05 janeiro 2009


E é a tua voz que assim oiço
neste silêncio dormido.
É por ela que em cada gesto sentido
eu nos meus gestos acordo rendido
ao trazer ela sussurrada a luz que
me acende em carinho cada traço teu
quando no teu rosto um aroma teu
de madrugadas faço eu meu
nas cores de um acordar meu
por cada alvorecer teu
E tão perto esse rosto está
que longe toca o intemporal
na companhia dos passeios em
tela luzidia pelos dias ao fim do dia
onde desenho eu o toque de uma ténue
e singela carícia numa delícia
tal como se a brisa que passa
fosse um sopro de um beijo meu
quando pelo inicio das manhãs
respiro eu da tua voz um carinho teu
e os meus olhos acordo assim aconchegados nos teus
pois da luz em cobertores brancos
nos sonhos deitada e levada pelo dia
respiram eles distante a água dos rios que se adia
em aromas sonhos e anseios de maresia
E saio
vou voo rio na corrente que se espalha
fluída em busca dos teus braços.

http://amrd.blogspot.com/

2 comentários:

Pico minha ilha disse...

Uma imagem linda e o poema a acompanhar.Beijinho Sónia e que o ano continue a correr bem

daniel milagre disse...

Sónia

Confesso que apreiei, como sempre tem acontecido com a tua escrita, que nem se poderá dizer linear. Encontro profundidade de pensamento, vertido em escrita.
Beijo,
Daniel

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.