.

.

28 janeiro 2009


Há o silêncio das estradas
e o silêncio das estrelas
e um canto de ave, tão branco,
tão branco, que se diria
também ser puro silêncio.
Não vem mensagem do vento,
nem ressonâncias longínquas
de passos passando em vão.
Há um porto de águas paradas
e um barco tão solitário,
que se esqueceu de existir.
Há uma lembrança do mundo
mas tão distante e suspensa...

Há uma saudade da vida
porém tão perdida e vaga,
e há a espera, a infinita espera,
a espera quase presença
da mão de puro mistério
que tomará minha mão
e me levará sonhando
para além deste silêncio,
para além desta aflição.

Tasso da Silveira
Imagem: Maria Branco-http://olhares.aeiou.pt/sozinho_foto730538.html

7 comentários:

lua prateada disse...

Amiga quando nos deparamos assim no meio de tão belas palavras mágicas e acolhedoras, começar por onde???
O texto está lindo...oas palavras que nos deixas ...maravilhosas! Bem...obrigada pelos dois...
Beijinho prateado com carinho

SOL

...AMORE... disse...

eu realmente me identifiquei com o texto...fico esperando o milagroso dia que uma mão me tirará de algumas aflições...mas esperar é sofrer o dobro...sinto isso e sei que há tempo de esperar, de sentir o silencio , de viver o vazio...mas tbem há tempo de se espreguiçar,respirar, se inspirar e voltar a viver...

muitos carinhos pra vce e obrigada por sua tão querida visita ao meu blog...!!!!

Diogo Caceres disse...

Boa noite Sonia!!
Pronta p/ a noite lhe levar ao mundo da poesia... pois o sono apenas nos permiti compor mais alguns sonetos p/ viver na vigilia!!
Sempre um encanto p/ o coração retornar aqui...
Ótima noite e grande abraço!!

o que me vier à real gana disse...

Olá, boa noite!

Muito bom! Vale a pena, aqui!

Poesias e Canções disse...

Há o silêncio das estradas
e o silêncio das estrelas
e um canto de ave, tão branco,
tão branco, que se diria
também ser puro silêncio.




Certamente que há...
Mas também há músicas na estrada
As tocadas pelos ventos que batem nas janelas que ressoam em nossos ouvidos..há o som que nos faz flutuar e nos leva a viajar além do chão...
Também há as músicas que as estrelas cantam e dançam numa imensa escuridão e parecem não se importar...
Sim há um canto de ave...que parece ser de uma única ave,mas não são!
São de muitas;mas porque cantam uníssono com o mesmo sentimento e emoção parece apenas uma;mas apenas parece!!!
O quanto se fala em solidão ;e parece que quando falamos sobre isso parece ser único; solitário...mas não são...pois tantos partilham juntos e cantam juntos;suplicam juntos pelo amor que um dia certamente encontrarão se não desistirem...!

Desejo que as águas se movam
que os barcos encontrem novos rumos
que deixem de ser solitários ainda que acompanhados
que tenham um porto seguro
e que nunca deixem de sonhar!
tenha um restante de semana maravilhoso!

O Faroleiro disse...

Uma nau, transporta a tranquilidade navegando pela saudade do futuro.
Felecidade é o nome do porto...

Maria disse...

Gostei de ler este belissimo texto. Contudo, não deixo de salientar que a imagem da qual sou autora http://olhares.aeiou.pt/sozinho_foto730538.html

complementa-o!

Solicito que seja postado o nome do autor, (Maria Branco) cujo registo se encontra protegido pelos direitos de autor!

Obrigada

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.