.

.

14 fevereiro 2009

Dança Lenta


Gosto de ser a sombra que me lembra que,
apesar de noite, ainda há luz por apagar.
A sombra de mim, recolhida no silêncio e
na penumbra das horas que não contam.
Permanente doce ficar,
Dança lenta que não consome...
Dança lenta, roubada ao olhar.
Tumulto de espírito fugidio
No encontro da luz com a pele.

A sombra que me beija,
A luz que me engole.
Dança lenta...
Dança lenta...

Alun Ward
Imagem da internet

5 comentários:

Jean disse...

belas fotos!

texto bonito...

abraços!!!

Eu disse...

Sentimento à flor-da-pele... sinto o canto do vento e a melodia embala meus sonhos. Sinto sua força em meu rosto e em meu corpo. Alivia saber que ele existe, mesmo que não possa vê-lo.
O mar me traz respostas a perguntas que jamais terei coragem de fazer.
E asim, sigo. Qem sabe, mais a frente, a ferida cicatrize e só fique a vaga lembrança do que um dia doeu até morrer!
Beijo grande querida amiga.

Luísa disse...

Posso dançar?
Gosto desta dança lenta que lança sobre nós a doce buliço de sentir a calam...

Beijinho grande! Boa semana!

Emanuel Azevedo disse...

Óptimo trabalho! Os meus parabéns! Recebe um abraço das ilhas de bruma e continuação de boas fotos.

poetaeusou . . . disse...

*
sombra lenta
alentando a dança . . .
.
conchinhas,
,
*

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.