.

.

22 março 2009

Ao meu pai


Nesta segunda-feira, dia 23 de março, meu pai estaria completando 75 anos, se não tivesse tido uma morte fulminante em maio do ano passado. Hoje, lendo um poema de Vieira Calado, sobre as pequenas insignificâncias de nossas vidas, que ninguém herdará, lembrei das cinzas do meu pai jogadas ao mar...Viveu e morreu bem, mas do homem que era nem o pó restou...A saudade continua, a memória do homem que foi ainda vive em nós, até que tenha chegado nossa vez também. Transcrevo hoje, um poema que fiz a ele, naqueles dias tristes.

Cinzas ao mar...

Num recanto do mar, tranqüilo e mágico,
Repousa a alma transformada
Em milhões de pontos cintilantes
Levados pelo vento, livre e soltos no ar...
Nesse recanto onde o mar se mistura ao céu,
A alma continua a voar por entre
Nuvens brancas, trazidas pela brisa,
Por entre as pedras esculpidas
pela chuva e pelo vento...
Alma amada que partistes, faz parte agora
Do dia, da noite e do sol,
Será arco-íris colorido depois que a chuva cair....
Flores nascerão, por entre as pedras e
A vida continuará sobre essa areia....
A alma que parte também viverá, eterna
No espaço e no tempo exato da sua história,
Assim como no coração de quem
sempre a amou e hoje vive na saudade...

Sônia Schmorantz

36 comentários:

Daniel Costa disse...

Sonia

Ver partir alguém, que nos é querido, será sempre sofrimento, mais não se esperando de imediato.
Leio e solidarizando-me, curvo-me ao inevitável.

Daniel

Eu sei que vou te amar disse...

Minha linda, o amor sera sempre infinito, ele vivera eternamente em nosso coracoes, deixando viva a memoria de quem amamos e nos amou!
Um beijo doce e lindo poema

Isa disse...

Minha quida,é assim!
Mas às vezes você fala com ele.
Faço isso,pq.há tanto amor recebido
e dado,q. sabe bem.
É verdade q.sou muito alegre!É verdade q. me visto de tons alegres.Mas,às vezes,tb.bate a tristeza.Que mando para longe,por
ter tanto para agradecer a Deus.
Beijo.
isa.

Maria Emília disse...

Ele não partiu, para sempre, está só ali ao lado tomando conta de todos vós como sempre fez.
Para ele já não há tempo nem espaço. Para nós ainda há e haverá também o tempo do reencontro.
Beijo,
Maria Emília

Heresias disse...

Que bom gosto: o mar! As cinzas ficam lá bem e a memória do pai também. Coragem!

Saudações

Celamar Maione disse...

Sônia,
e sempre viverá.
Será uma doce saudade de ensinamentos, de felicidade e de boas lembranças.
Eles nunca morrem dentro de nós.
Linda homenagem !
Grande beijo

Marta Vasil disse...

Sónia

É sempre com dor que vemos a partida física das pessoas que amamos. Mas quando o amor é forte, ele permanece para sempre em nossos corações, como energia na nossa vida, como lembrança dos afectos, da cumplicidade existida.

Beijinho

Paco Bailac disse...

Les dejo un saludo cordial desde la armonia del coaching.

Paz



pacobailacoach.blogspot.com

Lídia Craveiro disse...

Um dia todos passamos por isso, se a vida seguir o seu curso natural... Sei o que isso é, infelizmente... foi quando comecei a perceber que não sou eterna.

Beijo

Lidia

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA SÓNIA, BELA HOMENAGEM AO TEU QUERIDO PAI... POR ONDE ANDA OLHA POR TI... ABRAÇOS DE CARINHO,
FERNANDINHA

RAMA LYON disse...

Eu sei o que essa lembrança custa a suportar...Também já perdi o meu.

NESTE DIA DO PAI

Vou sofrendo a minha dor
Por alguém que já partiu,
E a saudade desse amor
Para sempre me feriu.
´
Mas um grito de coragem
Do meu peito hoje me sai
Pra deixar justa homenagem
Àquele que foi meu pai.

Não esqueço a bondade
Com que sempre me criou,
Nesse berço de amizade,
Tantas vezes me embalou.

Foi num mês de Fevereiro
Que a minha alma vazia
Nesse adeus derradeiro
O viu descer à terra fria.

Tanta mágoa me deixou
Nessa hora da partida
Que minha alma ficou
Desgostosa toda a vida

Se eu tivesse portador
Com certeza mandaria,
Um abraço cheio de amor
A lembrar-lhe este seu dia.

Que a paz seja seu brilho
Aí no Céu onde o pai está,
Que na terra este seu filho
Nunca mais o esquecerá.


Rama Lyon

LUiA disse...

A saudade nunca passa, porque saudade é memória. Memória de coisas maravilhosas vividas. Mas, a dor, esta dá lugar à presença, masi do que nunca, sentida.

Meu pai era meu porto seguro, minha referência de vida e eu tinha um sonho: queria que ele vivesse para conhecer meus filhos e carregá-los no colo.
Os filhos não vieram e ele se foi. Hoje ele me carrega no colo...

Com carinho da LUiA

Ana Martins disse...

Querida amiga,
muito lindo o seu poema dedicado a seu pai. A vida passa, as memórias ficam e a saudade doí, mas temos que continuar bem firmes como eles o desejam.

Beijinhos,
Ana Martins

Codinome Beija-Flor disse...

Sonia,
A saudade dói sim, mas só sentimos saudades de quem verddeiramente amamos.
Se há um amor que ultrapassa fronteiras é o amor de pais e filhos,; sejam as fronteiras entre o céu e a terra, mas a gente sente tão perto quando necessitamos deles.
Faço idéia do que sente, talvez algo parecido com a falta que sinto dos meus avós, principalmente do meu avô por parte de mãe.
O mais estranho é que por vezes (muitas vezes), mesmo depois de 12 anos eu esqueço que le partiu (fisicamente a matéria), porque ele é e sempre será tão vivo aqui dentro de mim e em meus sonhos.
Sua homenagem é um presente ao seu pai e a nós seus leitores.
Abraço grande pra você e um beijo cheio de afeto

Adolfo Payés disse...

Exquisitos versos nos entregas, saludos fraternos

un abrazo inmenso

Poesias e Canções disse...

Obrigada por sua visita e comentário tão tenro!
certamente seu pai foi alguém muito especial,por ter uma filha tão linda e por inspirar poesia até mesmo depois de sua partida!
Continue guardando em seu coração boas lembranças;e receba o carinho do vento que sopra e leva embora a solidão...E tenha-o sempre vivo em seu coração guardando apenas as boas lembranças!
Fique com Deus!
Um abraço cheio de solidariedade;
Adriana

Sônia Brandão disse...

Lindo o seu poema.

Aqueles que amamos nunca se vão de todo. Fica a sua luz, que sempre nos acaricia.
Beijos e uma ótima semana.

Luiz Caio disse...

Oi Sonia!

As boas recordações mantêm viva as pessoas que se vão, e nos são queridas... Não serve de consolo, mas elas vivem em nós... No coração e no pensamento!

TENHA UMA LINDA NOITE,
E UMA ÓTIMA SEMANA!

BEIJOS.

tossan disse...

É bela a tua poesia! Beijo

Faz tanto tempo...
só me lembro dos teus pés
inchados e esclerosados,
à espera que o tempo os levasse
e o teu andar rastejante e cansado...
Mas vai com Deus velho,
segue de mansinho.
Faz de conta que não foi nada!
*tossan

Victor Gil disse...

Como eu te compreendo amiga.
O meu também já partiu. Mas como tu dizes: "A vida continuará sobre essa areia...". Mas de lá, de onde as flores são tristes, concerteza que ele espera ver sempre o teu lindo sorriso.
Um beijo.
Victor Gil

Rúbida Rosa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marta Vasil disse...

Sónia

Passa pelo meu blogue. Tenho miminho para ti - "Vale a pena acompanhar este blogue"

Beijinho

MV

Eduardo Aleixo disse...

Recebe um abracinho meu, comovido.
Eduardo

Nilson Barcelli disse...

Muito bonito querida amiga.
O seu gesto e o poema.
O seu pai gostou... ele está a ver tudo e a protegê-la.
Boa semana, beijo.

rouxinol de Bernardim disse...

Ditoso Pai que tal filha tem!

Recordar é viver, e viver desta forma tão sublime é inebriante!

Parabéns Sónia!

Dois Rios disse...

Querida Sônia,

De tudo, é o amor que fica. Ele sobrepõe-se a ausência e nos rega pelo resta da vida.

Beijos ternos,
Inês

José Carlos Brandão disse...

Sônia, deixo-lhe a minha solidariedade. É nessas horas que mais cremos em Deus, e a fé nos consola.
Fique com Deus.
Um abraço, um beijo.

Luísa disse...

A saudade é o amor que fica...sempre a morar connosco!
Deixo um abraço apertadinho com cheiro a carinho!

Beijinho terno!

almadepoeta " Isabel Valente " disse...

Venho te deixar um beijo não adianto nada mais ao ue aqui ja te disseram, apenas que as pessoas que amamos estão sempre vivas no nosso coração.

Lindo o poema dedicado ao teu pai.

manzas disse...

Engano com palavras mudas o grito que cala
Esperanças na ponta da lança que fere o peito
Atingindo sentimentos sentidos por defeito
Descritos pelo som da escrita, que por si fala

Passando para agradecer a gentil visita
Retribuindo de uma forma que emana
Em aqui estar e ler sua sublime escrita
E desejar-lhe uma extraordinária semana

O eterno abraço…

-MANZAS-

Maysha disse...

Sonia deixo-te a minha solidariedade, tambem perdi a minha mãe há pouco tempo, entendo o que sentes,
Fica a lembrança dos momentos vividos, dos gestos de ternura, do calor dos afagos.
Beijos querida
Isa

António Gallobar disse...

Foi a primeira vez que visitei este blog e encontrei palavras e poesias impares, em particular este belo poema cheio de saudade e muita esperança.

Muitos parabens e continue assim
abraço

poetaeusou . . . disse...

*
o teu pai está presente,
no tranquilo mar das tuas palavras
feito ancorada lancha (barco)
onde as gaivotas, voando,
lhe prestam vassalagem,
,
maré de ternura, deixo,
,
*

*Lisa_B* disse...

Querida Sónia,
Lindo poema de homenagem a quem tanto se amou e ainda ama.
Compreendo esse sentimento, porque o meu pai também já não está cá...ciente que está algures a olhar para mim sinto-me menos só e falo com ele sim em silencio e pelo a Deus que ele esteja na luz...porque ele merece a luz esteve sempre presente para ajudar o próximo, deu-se todo aos outros.
O seu pai estará certamente lá junto mas observando cada um dos seus entes queridos.
O conforto que podemos ter é acreditar que aqui é uma passagem e lá do outro lado é que vivemos, pois podemos estar mais de 200 anos lá e virmos cá deste lado apenas uns poucos de anos de vez em quando para aprendermos a vida e a resolver coisas que possam purificar a alma.

Beijinhos meus

Mª Dolores Marques disse...

Gostei do seu poema...relembrar, saciar a fome da saudade. Mas o que é a morte se não uma outra forma de vida...


Belo o que li

Bjs

Dolores

Isabel Guedes disse...

Uma admiradora do seu "trabalho". Abraço

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.