.

.

15 março 2009

Poema de Domingo


Bastam-me as cinco pontas de uma estrela
E a cor de um navio em movimento.
E como ave, ficar parada a vê-la.
E como flor qualquer odor no vento.

Basta-me a lua ter aqui deixado
Um luminoso fio de cabelo
Para levar o céu todo enrolado
Na discreta ambição do meu novelo.

Só há espigas a crescer comigo
Numa seara para passear a pé
Esta distância achada pelo trigo
Que me dá só o pão daquilo que é.

Deixem ao dia a cama dum domingo
Para deitar um lírio que lhe sobre.
E a tarde cor-de-rosa num flamingo
Seja o teto da casa que me cobre.

Baste o que o tempo traz na sua anilha
Como uma rosa traz Abril no seio.
E que o mar dê o fruto duma ilha
Onde o Amor por fim tenha recreio.

Natália Correia

17 comentários:

Zé Carlos disse...

Olá Sônia querida, venha sempre tomar um cafezinho comigo... a sua presença me deixa muito feliz, a sua gentileza e a sua beleza juntas são uma bênção....
Bjs do Zé Carlos

Codinome Beija-Flor disse...

Sonia,
Aqui também só há amor.
(fico feliz que tenha gostado).
bjos

Málvadinha disse...

Belissimo texto e linda foto!!!
Uma otima semana pra vc!
Bjs

Xana disse...

Este poema é mesmo a tua cara querida :)

beijinhos e uma otima semana cheia de coisas lindas para voçês!!

** uma curiosidade.... os restaurantes estão tão à beira do mar , aí não há mares altas? se fosse aqui em Portugal os restaurantes eram apanhados pelas ondas ;)
xau

Osvaldo disse...

Oi Sonia;
Este poema de Domingo é um poema válido para reflexões todo um ano.
É sempre um prazer passar por cá e apreciar as belas poesias, sejam da Sonia ou dos grandes escritores, romancistas ou poetas da nossa língua como neste caso da Grande Natália Correia...
bjs e boa semana.
Osvaldo

Luísa disse...

Natália Correia é nossa poetisa, mulher de ideias vincadas e de pujança nas atitudes. Fez um marco histórico na sua passagem pelo mundo da política em Portugal. Uma sensivel e delicada lutadora.

Amei o poema!Amei a postagem!

Beijinho terno!

Cleo disse...

Que lindo o poema, combinou bem com Um Vento na Ilha.
Adorei a frase Prá levar o céu todo enrolado na ambição discreta do meu novelo. Mágico.
Beijos carinhosos e uma semana iluminada.
Cleo

*izil* disse...

Obrigada Sonia por suas palavras em meu blog, são neste momentos que descobrimos amigos mesmo que desconhecidos.
Vou continuar com meu blog.
Adorei seu blog, é lindo.
Izil

Tatiana disse...

Vim apreciar Sônia e desejar que tenhas uma semana muito especial!

Um abraço com o meu carinho

Carmem disse...

Muito bonito Sônia..
Obrigada pelo carinho!...

beijo e boa semana!

poetaeusou . . . disse...

*

obrigado por trazeres,
Natália Correia,
,
De amor nada mais resta que um Outubro
e quanto mais amada mais desisto:
quanto mais tu me despes mais me cubro
e quanto mais me escondo mais me avisto.
,
in-Natália Correia
,
*

Eduardo Aleixo disse...

Que lindo poema trazes da Natália Correia! Tão doce e tão suave!
Vim aqui retribuir a sua visita, gaivota de asas luminosas!
Boa semana para si e um abraço.
Eduardo

Daniel Costa disse...

Sônia

Há quanto tempo não lia nada de Natália Correia, que conheci pessoalmente, uma das boas poetisas portuguesas.
Natália Correia, foi outra das boas opções.
Daniel

Rosani Nauar disse...

Querida Amiga


Suas palavras foram bálsamo pra meu coração, graças Deus deu tudo bem na cirugia da minha mãe, e agora longo processo de recuperação, mas ela fica bem...e vou tentar manter a calma e tranquilidade nesse momento.

beijos, amiga querida

Antonio Paulo disse...

Um poema de domingo que serve mesmo para sempre. Tamanha beleza que sua alma sempre nos traga mais desses poemas.

Ana Martins disse...

Um pema extraordinário cheio de encanto e musicalidade... Grata pela partilha!

Beijinhos,
Ana Martins

João52 disse...

poema lindo... adorei o seu blog...
saudações poéticas

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.