.

.

28 maio 2009

Sementes


Silêncio ecoando na inquietude,
Minha alma procura o equilíbrio
Entre sentimentos de ontem e hoje.
Sentimentos imperfeitos,
Como imperfeita eu sou...
A poesia vem em fragmentos,
Como sementes desconhecidas,
Vividas, sonhadas, escondidas.
Sementes serenas como as lágrimas
Que a noite verte
Ainda que estrelas lhe façam companhia.
Sozinha aqui a pensar,
Não encontro rimas para a poesia,
Assim, só em fragmentos, lanço
Minhas sementes na noite que
Se encolhe dormente na fria madrugada.
Estou infinita e limitada,
Quero minha poesia inteira e
Todos os meus sonhos de volta...

Sônia Schmorantz

19 comentários:

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Voce nunca estara sozinha nas madrugadas frias.
Lindo, mesmo que seja fragmentos.
Beijos te amo muito

Daniel Costa disse...

Sônia

O silêncio pode ser uma forma de poesia, pelo menos, é ele que proporciona as ideias aflorarem.
Daniel

Luísa disse...

Fragmentos dum todo, que mostra pensamento e sensibilidade!
Beijinho terno!

Xana disse...

O silêncio é a cama dos poetas, e essas sementes hão-de germinar e dar seus frutos, aliás como o teu amor diz nunca vais estar sósinha nas madrugadas frias :)
parece que já germinaram muitas delas querida !!!
beijinho e divirtam-se neste fim de semana

Gleidston disse...

O poeta e a poesia se encontra nesse silêncio e o resultado fica assim, um poema maravilhoso e profundo adentrado no lirismo,parabens Sônia.

Otimo fim de semana.

beijos!

Isa disse...

Sônia,lindo e comovente o seu Poema.
Desejo-lhe tudo de bom.
Beijo.
isa.

Layara disse...

Poetas e Poetisas, vivem num silêncio ensurdecedor, que acorda a Alma nas noites fragmentadas desses dias de saudades.
Sentimentos são como mosaico,fragmentados mas juntos formam uma colorida emoção.


Beijos Lilás!

fred disse...

Belo poema, Sônia.
Ótimo fim de semana.
Beijos

poetaeusou . . . disse...

*
lindo poema, amiga,
,
quero os poemas de volta,
nos sonhos esvoaçantes,
,
conchinhas mil, deixo,
,
*

Ricardo Calmon disse...

Fragmentos esses,Sônia,constroem em cardíacos nossos,castelos de sensibilidade e amor profundo,em poesia forma!

Lindo post seu ,amei e sorvi!

Viva a Vida!

A.S. disse...

Sónia...

Se a vida não rima, porque há-de rimar a poesia?

Beijos... e bom fim de semana!

O mar me encanta completamente... disse...

Poema irreparável.
Um presente para o coração
as palavras...
E a imagem,presente para os olhos.

Beijinho

Mar Arável disse...

Força nos sonhos

as sementes voam

Jaclo disse...

..."Sementes serenas como as lágrimas
Que a noite verte
Ainda que estrelas lhe façan companhia..."
¡Qué bonito, Sonia.
Saludos

tossan disse...

Gosto muito das tuas poesias são lindas como a ilha! Beijo

Maria Emília disse...

Que bonita poesia Sónia. O que me chamou mais a atenção foi o verso que diz que está infinita e limitada.
E não é de fragmentos que se faz a poesia. E os sonhos não a ajudam a construir e rimar?
Gostei muito.
Um grande beijinho,
Maria Emília

Pelos caminhos da vida. disse...

Bela poesia.

Fim de semana de luz amiga.

beijooo.

Léo disse...

E a poeta se revolta.

Há dias em que as palavras ficam entaladas na garganta... temos bons versos soltos, mais que juntos não dão em nada. Há de se esperar o momento certo para casar a poesia.

Eu sei como se sente nestes dias.

Direto do Rio.
Beijos moça.

Sônia Brandão disse...

Essas sementes, quando menos se espera, germinam. Nasce o poema.
Lindo!
Beijos.

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.