.

.

24 junho 2009

A Vida


Já um pouco de vento se demora;
Já sua força vale a de uma mão
Nestes papéis que trago para fora,
Que o campo dá certeza e solidão.

O calor fez a casca mais delgada,
Agora colho a tarde: a vida não.
Sou como a macieira carregada:
De palavras a mais cobri o chão.

Árvores há no outono que conhecem
O toque e ardor das folhas de amanhã
E esperando-as, altas, adormecem.
Com espaço e vento nunca a vida é vã.

Eu volto à mão do outono em meus papéis.
Penso e, indiscreto, o ar remove
Estas imagens cruéis
Que a minha vida comove.

Vitorino Nemésio

Imagem 1: internet
Imagem 2: Inverno em Florianópolis, gaivotas nas sacadas da beira mar

30 comentários:

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Cada dia teu blogger esta mais lindo, com poemas belissimos e as imagens não tem o que falar, são lindas
Beijos te amo

Mari Amorim disse...

Sonia
vim agradecer suas visitas,
lindos posts!
lindos teus amores,que Deus os abençoe
Boas energias
Mari

Victor Gil disse...

Olá querida amiga.
Vitorino Nemésio também era de uma ilha dos Açores. Por isso:

Também fala do vento,
da solidão,
do Outono que atira,
as folhas ao chão.

Já tenho a minha foto no perfil.
Beijos
Victor Gil

Dulcineia (Lília) disse...

Sónia,
Bonito poemã do VN.
O outono muda. Tudo em nosso redor são como aparências - sempre a mudar.
Hoje é dia de troca de carinho no Arco: incentivo para visitarmos os amigos, abraçá-los com força, sorrir-lhes e olhá-los com carinho.
Assim, o melhor e eterno que há em mim saúda o melhor e sagrado que há em ti!
Com amor
Lília,

Layara disse...

Com as estações,os ventos e palavras soltas como folhas de outono.
A vida nunca é em vão.
Há sempre algo que nos comove
E nos faz seguir felizes por cada Estação.


Linda Poesia, bela escolha.

Um Beijo Lilás!

Walkyria Suleiman disse...

Oi Sonia, gostei muito do seu blog. Cheio de lembranças vivas, de amor, da família, que deveria ser tudo para nós. Parabéns...que bom poder conhecer gente como vc. Eu tbm tenho um link "meus amores".

LOURO disse...

Querida amiga Sónia:

Lindo poema do saudoso Açoreano Vitorino Nemésio...Parabéns pela escolha!!!

Beijinhos de carinho e amizade,

Lourenço

Maria Emília disse...

Que certas as palavras desse grande açoreano que foi Vitorino Nemésio. Quando estive em Florianopolis fui dar uma volta de escuna com um conterrâneo seu que era professor na universidade e sabia mais da história de Portugal que a maioria dos Portugueses. Lembrei-me agora dele por causa do Vitorino Nemésio. Este homem de que falo já tinha visitado todas as ilhas dos Açores e enquanto nos ia mostrandoos belos locais que visitámos falou da bravura dos portugueses com uma dedicação e carinho que nos tocaram muito.
Um beijinho,
Maria Emília

Anne Lieri disse...

Linda poesia!Palavras a mais que cobrem o chão...maravilha de metáfora!Adorei!Bjs,

Maria Valadas disse...

Um belíssimo poema de Vitorino Nemésio!

Um grande Poeta... que permanece vivo em nossos corações.

Parabéns pela escolha!

Obrigada por ter aceite o meu convite!

Beijinhos para si, e para toda a sua linda familia!

Maria

Arantza G. disse...

Poemas de lujo.
Bellos, que encariñan.
Un beso grande

Pelos caminhos da vida. disse...

Bom dia Sônia.

Tem prêmio pra vc no blog presente.

beijooo

Rosemari disse...

Sonia

Os versos da poetisa são escritos com o coração solitário. O outono rabisca com as folhas transformando as palavras em vida.

BOm final de semana.

beijos

≈♦ Estrellita ♦≈ disse...

Hermoso Sonia,te dejo un besito y mi deseo de que tengas un hermoso dia, te me cuidas bay

Antonio Paulo disse...

Bom dia Sonia esse espaço é revigorante sempre para nossa alma lindo mesmo com poeais e imagens. E ao mesmo tempo te agreço pelas palavras no vivendo em versos.

A.S. disse...

Sónia,

A Vida, num belissimo poema do saudoso Vitorino Nemésio!


Beijos...

Eduardo Aleixo disse...

Já regressei.
As fotos são lindas.
E o poema de Nemésio, esplêndido.
Gosto do seu blogue.
Bem haja

Pena disse...

Linda Amiga:
Um poema sensível e admirável a que deu vida dum fabuloso e extraordinário Vitorino Nemésio.
Um poema soberbo que maravilha e delicia. Um ser e um sentir admiráveis de pureza e beleza suas.
Admirável. Lindo e Terno. Genial.
Beijinhos amigos pela coragem que vive em si na opção de um autor e sensível homem das letras fascinante de sonhos deliciosos, fantásticos e maravilhosos.
Uma AUTENTICIDADE majestosa, deslumbrante e doce. VOCÊ!
Brilhante!
Com cordialidade e encanto.
Respeitosamente....

pena

Fabuloso. Notável. De uma sensibilidade transcendente e divinal. Um versejar "alucinante" de talento ímpar.
OBRIGADO pela sua amizade.

Meg disse...

Visitei de novo.Gostei outra vez. És a sensibilizade corporizada. Adorei ver os teus "queridos" familiares do teu coração. São todos lindos como tu.Também sou mãe, também sou babada!
beijão
meg

Xana disse...

Sabes que o Vitorino tinha um programa aqui na televisão portuguesa , e eu ainda criança achava aquilo um horror de chatice, não tive tempo de crescer para gostar do que ele falava :)

beijinhos e obrigado por lembrares o tempo em que a televisão era a preto e branco
beijos grandes

CASSANDRA GAVA disse...

"Não possuir algumas das coisas que desejamos é parte indispensável da felicidade."

ÓTIMO FINAL DE SEMANA!!!!

BJS DA AMIGA "CÁ".

a ALMA das IMAGENS disse...

Lindo o seu espaço.
Obrigado querida.
Abraço de alma
Assina:
Sissi

mar salgado disse...

grande Nemésio.

Brancamar disse...

Obrigada por nos trazer um dos nossos admiráveis poetas e um poema tão bonito.
Adorei a paisagem.
Beijinhos

Vieira Calado disse...

Grato pela partilha.

Não conhecia.

Saudações.

Pelos caminhos da vida. disse...

Que vista mais linda Sonia.

beijooo.

Zilda Santiago disse...

Bom ler Vitorino Nemésio e fazer um passeio virtual por Floripa.Bjs no coração.

Zilda Santiago disse...

Bom ler Vitorino Nemésio e fazer um passeio virtual por Floripa.Bjs no coração.

Corações & Segredos disse...

Linda nossa Ilha,,rsss
Obrigada pela visita e carinho amiga..
Desejo a vc um final de semana radiante.
Carinho de RO!

lupussignatus disse...

mão

que

colhe



mão

que

acolhe



*abraço
trans-
atlântico*

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.