.

.

09 novembro 2009

Tragédia cotidiana



Eu me diluí na alma imprecisa das coisas.
Rolei com a Terra pela órbita do infinito,
Jorrei das nuvens com a torrente das chuvas
E percorri o espaço no sopro do vento;
Marulhei na corrente inquietadora dos rios,
Penetrei a nudez milenar das montanhas;
Desci ao vácuo silencioso dos abismos;
Circulei a seiva das plantas,
Ardi no olhar das feras,
Palpitei nas asas das pombas;
Fui sublime n'alma do homem bom
E desprezível no coração do mesquinho;
Inebriei-me da alegria do venturoso;
E deslizei dolorosamente na lágrima do infeliz.

Nada encontrei mais doloroso,
Mais eloqüente,
Mais grandioso
Do que a tragédia cotidiana
Escrita em cada vida humana.


Helena Kolody



15 comentários:

direitinho disse...

Poema maravilhoso.
Quando estamos atentos ao que se passa dentro de nós ou à nossa volta.
Somos lama, somos chuva, somos vento em cada gesto ou acontecimento.

SAM disse...

Bom dia, amiga! Helena Kolody é sensacional. O poema e fotos,também.

Beijos com carinho.

Vitor Chuva disse...

Olá Sonia!

Maneira linda de dizer que o mais importante na vida é a vida em si mesma, e o estar desperto e atento para, assim, a poder viver.

As fotos, bonitas, compõem o resto do bonito quadro.

Um abraço.

Vitor Chuva

Dora Regina disse...

Devemos estar atentos para a força que está dentro de nós...
O bem ou o mal?
Cabe a nós escolher...
Um grande abraço!

Eu sei que vou te amar disse...

Uma tragedia escrita de uma forma poetica e sublime!
Um beijo doce

Sônia Silvino disse...

Oi, xará!
Que momentos de paz
você proporciona!
Seu blog me emociona
e me faz curtir a natureza...
pois, com certeza,
teu talento cresce a cada dia!
Que sensível, essa guria!
Bjkas!!!
Sônia Silvino

Wanderley Elian Lima disse...

Nada realmente é tão eloquente quanto a tragédia humnaa que se repete a cada dia, a cada hora a cada segundo.
Um abraço

Agulheta disse...

Sónia!Sempre devemos valorizar as coisas que nos rodeiam,e este sentimento aqui escrito melhor ainda,e a vida e o mundo poderia ser realmente maravilhoso.
Beijinho e agradeço visita. Lisa

arobos disse...

Sempre salgo de tu blog impregnado de belleza. Saludos.

sam rock disse...

Assim é a minha vida,
pedra, como tu. Como tu,
pedra pequena:
como tu, pedra ligeira;
como tu,
quanto que rodas
pelas calçadas
e pelas veredas;
como tu,
...

Assim é a vida según um vê-lho poeta espanhol, que veio-me a memória ao ler os teus versos

Um abraço

Zilda Santiago disse...

Belíssimo o poema.Bjsssssssss

Amor Feito Poesia disse...

Sonia querida, venha conhecer meu mais novo cantinho

Beijos..........M@ria

Graça Pereira disse...

A vida humana é de certo dolorosa mas , tão grandiosa que foi a oração mais bonita que Deus inventou !!
Um beijo e boa semana
Graça

Luísa disse...

Vou sair devagarinho, para que não me sintas perdida...
Sónia, magnifico poema!
Beijinho terno

romantic disse...

SÔNIA QUERIDA BOA NOITE
QUE LINDO TEXTOS E AS FOTOS SUAS E DO EDUARDO ESTÃO LINDAS !UM BJO DE QUEM MUITO LHE ADMIRA!

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.