.

.

26 janeiro 2010

Destino: viver



Acorda-me,
um rumor de ave.
Talvez seja a tarde
a querer voar.
A levantar do chão
qualquer coisa que vive,
e é como um perdão
que não tive.
Talvez nada.
Ou só um olhar
que na tarde fechada
é ave.
Mas não pode voar.

(Eugénio de Andrade)



Não sei onde as gaivotas fazem ninho,
onde encontram a paz.
Sou como elas,
em perpétuo voo.
Raso a vida
como elas rasam a água
em busca de alimento.
E amo, talvez como elas, o sossego,
o grande sossego marinho,
mas o meu destino é viver
faiscando na tempestade.

(Vincenzo Cardarelli
Trad.: Priscila Manhães Lerner)



Leva-me a um lugar onde a paisagem
Se pareça àquela das visões da mente.
Que seja verde o rio, claro o poente
Que seja longa e leve a minha viagem.
Leva-me sem ódio e sem amor
Despojada de tudo que não seja
Eu mesma. Morna estrutura sem cor
A minha vida. E sem velada beleza.
Leva-me e deixa-me só. Na singeleza
De apenas existir, sem vida extrema.
E que nos escuros claustros do poema
Eu encontre afinal minha certeza.

(Hilda Hilst)

22 comentários:

EDUARDO POISL disse...

Lindos os poemas mais a foto do João de Barro é maravilhosa.
Beijos te amo

Juliana Paez disse...

Adoro cada poste que você posta nesse cantinho tão abençoado.

Palavras tão doces, sentimentos tão reais.

"Leva-me a um lugar onde a paisagem
Se pareça àquela das visões da mente.
Que seja verde o rio, claro o poente"

Perfeito Soninha!! como sempre!!!

Bjokas da JU

Mª Dolores Marques disse...

É sempre um prazer passar por aqui. Boas fotos, e bela poesia

Um beijo daqui

Dolores Marques

a magia da noite disse...

nem sempre ter asas é sinónimo de voar, nem sempre ter casa significa amar.

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Ah, um joão de barro!
Sabe há quanto tempo não vejo um?
Mais de 10 anos! Que coisa mais graciosa!

Beijo!

Ivana Marisa Altafin disse...

Passo aqui para respirar o ar puro da natureza, para meus olhos se perderem no azul do céu e minha alma ficar em paz com as palavras dos poemas! Uma ótima semana!

João Videira Santos disse...

Fostos e poemas bem a propósito.Parabéns!

Eduardo Aleixo disse...

É sempre tão bom visitar-te. É como vir beber água da fonte, de onde brotam os lindos poemas com que nos mimoseias. Obrigado. Um abraço.

Sonhadora disse...

Minha querida sonia
como sempre belos poemas e lindas fotos.
adoro passar por teu blog.

beijinhos
Sonhadora

A.S. disse...

Sónia... Talvez me vá repetir, mas digo que ler-te é um puro fascinio!


Beijos
AL

Luis F disse...

Grandes poemas de grandes mestres, belas palavras enquadradas por belas imagens... adorei cada pedaço, cada pétala que aqui deixas, cada momento.

Parabens

Bjs
Luis

sam rock disse...

Mi vuelo por internet me ha dejado caer sobre tu isla batida por el viento, todo un descanso para el alma.

Un fuerte abrazo

Sthefanie disse...

Olá ...
As fotos são maravilhosas, e os poemas nem se fala.
No mundo de hoje talvez o que mais queremos seja realmente a paz do vôo, aliada a beleza de uma paisagem esplendida!
Parabéns!
Beijos.

Vitor Chuva disse...

Olá Sonia!

Linda colecção de poemas, todos muito bonitos. E simpático esse passaroco - com ar vaidoso e peito inchado - poisado sobre o rochedo!

Um abraço.
Vitor

AROBOS disse...

¡Qué bellos estos poema! Me encanta leerlos en ese idioma que no conozco, pero que por su proximidad con el español, entiendo casi totalmente. Y las fotos son una gozada. Un saludo.

Andrea Galvez disse...

Sonia querida

Eu todo vez que venho até aqui olho, leio e me fogem as palvras para comentar, mas hoje quando vi a imagem do João de Barro lembrei de uma cançaõ que minha avó muitas vezes cantarolava e ficava horas ouvindo aquele historinha musicada.

Eu fico impressionada com o casamento dos poemas e imagens...só mesmo tanta sensibilidade pra tudo isso.

Obrigada pelo presente!

Bjo pra ti!

Norma Villares disse...

Sônia,

Eiba! que coisa boa acordar com vento e brisa na ilha.
Principalmente numa noite brabo verâo.

Muito linda, gostei. Tem cheiro de maresia.
Beijos de luzes e cores

El Drac disse...

Poema Nice, "o meu destino é viver piscando na tempestade." Muito bonito. E as belas imagens. Um abraço.

Victor Gil disse...

Amiga Sônia.
Passei agora pelo blog do Eduardo, onde dizes que obtens as fotos através da janela do bus. Na verdade esse bus tem um percurso que dá inveja, e então com janelas assim.
Ha! Também li o teu poema. Tens que deixar de os esconder.
Beijos amiga
Victor Gil

momo disse...

que belleza Sonia , no me canso de pasear por tus rincones.
un abrazo grande y hasta mi vuelta.

Rafaella Antunes N. disse...

Suas palavras são sinceramente perfeitas *--*

Lu disse...

Lindas as fotos, e a pequena ave que parece calada e pensativa

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.