.

.

25 janeiro 2010

Poemas



Talvez o que sonhamos algum dia
seja o rio que fundou o povoado
da infância entre as estrelas
 
talvez a vida seja uma lenha que arde
no belo coração dos errantes

e a palavra que pronunciamos ao cair da noite
seja a chave da casa
dos espaços e tempos infinitos.

Maristeanne_CBritto
http://simplesmentelampejo.blogspot.com



Como um barco assim cheguei
na calma ondulação das tardes
e a ti eu aportei...

E lento eu desfiz
a armação das velas e te amei
enquanto o sol brilhava...

E nas gotas que ficaram
nas curvas do teu corpo
dos suores de nós...

Reentrei firme e fundo
e nessas águas inventamos
o caminho para casa...

Eduardo Leal
http://anossapena.blogspot.com/

17 comentários:

José Carlos Mendes Brandão disse...

Sônia, a palavra nos inventa. Nós inventamos a palavra porque estamos cheios / vazios de mundo - e a palavra nos inventa.
Viver é grande, é maravilhoso.
Um grande abraço.

Vieira Calado disse...

Passei para deixar uma beijoca.

Daniel Costa disse...

Sonia

Sempre a belíssima poesia, acentuada por bonitas fotos de lindas panorâmicas.
Daniel

Marise von disse...

Sonia,

Belas poesia, me levou para casa.
Estou tão distante e tenho saudades do tempo que passou ou talvez pelo tempo que passei.
O tempo está me deixando intrigada.
Abraços e umaexcelente semana.
Marise.

Wanderley Elian Lima disse...

Bom dia Sonia
Mais dois poemas de indiscutível beleza.
Um abraço

Betty disse...

Hola Sonia, feliz comienzo de semana.
siempre es un lujo pasar por tu blog.

Vitor Chuva disse...

Olá Sonia!

Marinheiro poeta e felizardo, esse
que encontrou o cais certo para se amarrar: bonita mertáfora em forma de poesia ... e bonitas as fotos!

Um abraço.
Vitor.

direitinho disse...

Linda poesia
As palavras que formam os sonhos da nossa infância transformaram-se num rio de estrelas..........
As palavras que se tornam a chave para entrarmos em casa...........
Beijinhos

Adolfo Payés disse...

Wow que bello poema.. y tus fotos siempre me cautivan..


Un abrazo
Saludos fraternos...

poetaeusou . . . disse...

*
poemas
são palavras retratadas
nas embelezadas imagens .
,
conchinhas,
,
*

Sandra Helena Queiróz Silva disse...

Olá Sonia!

Lindos poemas, desejo tudo de bom e uma excelente semana.

Beijos de Luz!

Dois Rios disse...

Sônia,

"talvez a vida seja uma lenha que arde no belo coração dos errantes."

"como um barco assim cheguei
na calma ondulação das tardes
e a ti eu aportei..."

Comunhão perfeita entre belas poesias e maravilhosas imagens.

Parabéns!

Beijos,
Inês

Tatiana disse...

Sônia...
É tão bom entrar em um blog e perceber que a energia que circula é de muita paz... Aqui eu sinto o perfume do amor.

Um abraço carinhoso

Agulheta disse...

Sónia.E bom ler palavras com paz,e com a beleza das tuas fotos para o quadro,adorei.
Beijinho Lisa

AROBOS disse...

Me he bañado -leyendo y viendo tu blog- en esas aguas preciosas y en esos poemas tan bellos. Saludos.

Sônia Brandão disse...

Os poemas são bonitos e as tuas fotos encantam.

bjs

Ricardo Calmon disse...

lUZES E CORES ,SONIA,E EDUARDO,COMO ARCO ÍRIS,EM CAMPOS MEUS DE GIRASSOIS VCS SÃO!

vIVA lA vIDAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.