.

.

07 janeiro 2010

Palavras na penumbra





Há um silêncio leve sobre as ruas.
Esconde-se em sua tênue vaidade.
Ninguém o escuta. Vai pela cidade
compondo um vento de palavras nuas.

Foge do tempo, foge dessa urgência
de dizer tanto, e tudo, e não ser nada,
e encolhe-se no oco de uma ausência,
como uma ave oculta a face alada.

Há um silêncio vivo como a pele,
que pulsa sob um têxtil desatino,
disposto a seduzir o que o impele

ao devaneio. E o impulso vence-o
e abre uma outra face em seu destino:
pois dentro do silêncio há outro silêncio.


Renato Tapado
(Porto Alegre 1962, escritor gaúcho, radicado em Florianópolis desde 1974.)



21 comentários:

Sonhadora disse...

Sonia
Lindo poema.


Há um silêncio leve sobre as ruas.
Esconde-se em sua tênue vaidade.
Ninguém o escuta. Vai pela cidade
compondo um vento de palavras nuas.

Adorei.

Fotos lindas.

Beijinhos

tossan disse...

Poema lindo! Esse Renato de tapado não tem nada só de poeta genuíno. Lindas fotos! Beijo

PS: O negro gato me deu sorte no final. Reparou?

EDUARDO POISL disse...

Poema, fotos e você tudo muito lindo.
Beijo te amo

Sônia Silvino disse...

Xará!
Lindo! Simplesmente lindo! Faltam-me palavras! Ai, que saudade de santa!
Bjkas!

direitinho disse...

Um poema único.
São sábias as palavras de grande simplicidade, mas com uma mensagem muito rica e oportuna.

Chica disse...

Lindo silêncio nos versos.Lindas foros!beijos,chica

Isa disse...

Cada vez mais lindo este espaço que nos convida a ficar...
Beijo.
isa.

Eduardo Aleixo disse...

Lindas fotos e mais um belo poema.
Bom fim de semana, amiga. Abraço.

Silvana Nunes .'. disse...

Lindo conjunto de poesia com as fotos. Teve uma época de minha vida que ia à Floripa umas três vezes ao ano. Tive um cunhado que morreu em Palhoça. Muito linda a cidade, o litoral do centro de Floripa é muito parecido com Copacabana. Adoro a Lagoa da Conceição com suas dunas. Fantástico.

Fernando Campanella disse...

Bom dia, Sonia, passando pelo teu espaço e me maravilhando com as fotos, lindas, lindas, um verdadeiro hino de amor á terra ( ou mar, rs) em que se vive. Eu gostaria muito de fotografar esse teu mar, mas minhas ondas são de montanhas e colinas. Grande abraço, obrigado pelo carinho das visitas, feliz 2010 a vc e ao Eduardo.

Bya.moon disse...

Boa tarde e obrigada pela visita no meu cantinho dei uma sumida necessária para enconrar o silêcio e dele extrair minha respostas ou levantar mais questões... porém belas palavras que passastes e as imegens nem se fala a rotina o cotidiano exibe a beleza dos momentos que deixamos de olhar perceber e sentir...
Extrair a beleza que traz a natureza o natural que nos rodeia estejamos onde for!
Forte abaço,
By

Ivana Marisa Altafin disse...

Oi Sônia,
Um dia irei conhecer essa ILHA mágica e linda.Um abraço!

Vitor Chuva disse...

Olá Sonia!

Bonito poema, confissão de sentimentos reprimidos, e escondidos.
Lindas as fotos, a falar de verão e de calor...e tanto frio por estes lados - que inveja!
Um abraço.
vitor

Ricardo Calmon disse...

PURA MAGIA ,BLOG TEU E POSTS ESSES,VIDA EMANAS ,EM VIDAS NOSSAS!

VIVA LA VIDAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

Mariana disse...

Fico sem fôlego qd venho aqui.
Amo SC, a bela e santa.
Tenhas um iluminado fim d semana.

AFRICA EM POESIA disse...

SONIA

Ando Feliz

Primeiro as negociações do governo com os professores melhorou.
Depois é fim de semana
Depois...Depois o meu livro do SPORTING está quase a sair.

Para ti...um beijo GRANDE...

M@ria disse...

Bom FDS querida Sonia.
Carinhos e beijos meus...M@ria

Úrsula Avner disse...

Querida Sônia, muito obrigada por seu carinho sempre presente. Bj no coração. Feiz 2010 e até breve.

Adrisol disse...

hermoso poema, cómo siempre!
es un deleite venir a visitarte....

muchos besos y gracias por la compañía que me haces..

Ana disse...

Quase lembra o Rio, mas só quase.
Um dia ainda passo aí.

:*

AFRICA EM POESIA disse...

UNIÃO


Vamos dar as mãos...
Vamos juntar-nos...
Vamos pensar...
No nosso irmão...

Vamos unir-nos...
E pensar...

Que se cada um...
Deixar amar...
O coração...
De uma criança

Será outra vez Natal...

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.