.

.

09 março 2010

Sobretudo quando chove



Se apenas uma escolha me restasse,
eu levaria o pôr-do-sol,
ou se uma só herança me bastasse,
um rouxinol
que cantasse a dor das distâncias
e curasse essa saudade
a me invadir enquanto eu canto,
sobretudo quando chove.

Se toda a poesia, numa palavra,
eu ficaria com "jardim"
e, um tipo só de arbusto ali se lavra,
o alecrim,
concentrando o cheiro do longe,
acalmando essa saudade
a me invadir enquanto eu canto,
sobretudo quando chove.

E chove, e chove, chove sem parar,
enquanto eu canto, canto,
ao te esperar.

Se cada vez que eu penso no teu rosto,
vento virasse um vendaval,
desabaria o céu com muito gosto,
que temporal!
Tormenta no mar da memória,
rimando com essa saudade
a me invadir enquanto eu canto,
sobretudo quando chove.

Gerson Borges
http://www.lyricstime.com/



14 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida Sonia
lindo poema, como sempre belas escolhas.

Beijinhos

MARIA L. BÓZOLI disse...

Agradeço as suas muitas visitas.
Saudades........Estive um pouco ausente.

Boa Noite! Beijos & Poesia!

El Drac disse...

Precioso poema el que nos trae en este su bello espacio,una tormenta de pasión desencadenada siempre entre sus letras, Un abrazo

Malu disse...

Soninha,
Bom Dia!!!!
Amei o poema e também a homenagem ao Dia Internacional Da Mulher.
Que bela história! Confesso que me emocionei.
Beijinhossssssssss

Eduardo disse...

...
chove, chove... chove...
deixa chover

Os pingos de chuva
alimentam a nossa alma
e são o perfume de uma vida nova

Uma flor e um pingo de chuva para ti

MEUS PENSAMENTOS disse...

oh, quão lindos são os poemas aqui escilhidos!!
bjs pra vc minha doce amiga!

Agulheta disse...

Sónia.Gostei do poema e palavras nele contidas,hoje com alguma pressa venho deixar um sorriso.
Beijinho Lisa

Fada do Mar Suave disse...

MULHER

Mulher
Ora opaca ora translúcida
Submarina ou vegetal
Assumes todas as formas,
Desposas o movimento.

Sinal de contradição
Posto um dia neste mundo
Tu és o quinto elemento
Agregado pelo poeta
Que te ama e te assimila
E é bebido por ti.

Tu és na verdade, mulher,
Construção e destruição.

Murilo Mendes

Alegrando meu dia com a beleza de seu Blog.
Com amor da Fada do Mar Suave.

Ana Lúcia Porto disse...

Linda poesia...!! Quanta sensibilidade...

Beijos,

Wanderley Elian Lima disse...

A chuva, quando não tempestade, deixa um clima romântico no ar.
Um abraço

Antonio Campos disse...

como os pingos da chuva
encharcam meu peito sentido
assim sem nenhum constrangimento
como os pingos da chuva
me fazem lembrar belos momentos.

Sempre lindos os poemas aqui postados.

SolBarreto disse...

Lindo poema! adorei sobretudo esta passagem...
"Se cada vez que eu penso no teu rosto,
vento virasse um vendaval,
desabaria o céu com muito gosto,
que temporal!"

Layara disse...

...que delicia de versos...

Senti, levando o mais belo o cheiro do alecrim e as gotas molhando meu jardim e a mim...

Amei!

vou ler de novo!


besitos!

Solange Maia disse...

senti cheiros, vi cores, ventos, e amores...

que texto lindo.

me fez experimentá-lo. obrigada por isso.

beijos !

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.