.

.

05 maio 2010

16 Anos sem o poeta Mário de Miranda Quintana


                 Nascido em 30 de julho de 1906 na cidade de Alegrete, interior do Rio Grande do Sul, Mário Quintana foi jornalista, tradutor e um dos maiores poetas da literatura brasileira. Faleceu em Porto Alegre, capital gaúcha, no dia 05 de maio de 1994, aos 87 anos. Portanto, neste dia 5 de maio completam-se 16 anos de sua partida. Quintana escreveu muitas vezes sobre a morte, entre os mais conhecidos estão:

"Amigos não consultem os relógios quando um dia me for de vossas vidas... Porque o tempo é uma invenção da morte: não o conhece a vida - a verdadeira - em que basta um momento de poesia para nos dar a eternidade inteira".

.......................................

“Quando eu for, um dia desses,
Poeira ou folha levada
No vento da madrugada,
Serei um pouco do nada
Invisível, delicioso

Que faz com que o teu ar
Pareça mais um olhar,
Suave mistério amoroso,
Cidade de meu andar
(Deste já tão longo andar!)
E talvez de meu repouso...”

               Diziam os amigos mais íntimos, que Mario Quintana era o poeta das coisas simples e fazia pouco caso em relação à crítica. Conforme costumava comentar, sua poesia era feita simplesmente por sentir necessidade de escrever.





           

19 comentários:

Poesia...Poesia disse...

Olá........

Se a rosa falasse diria:
Nasci entre espinhos
mas agradeço todas as manhãs
o beijo do sol
que embeleza minhas pétalas,
as gotas de orvalho
que mantêm verdes meus galhos.
E você? agradece a quê?

(Sirlei L. Passolongo)


Beijos & flores! Linda noite prá voce!

Helena Castelli disse...

Quintana sabia fazer carinho na alma da gente...

Beijo de boa noite.
Helena

Déia disse...

Saudades!!

Tantas lindas palavras, que ainda bem o mantem vivo em nossos corações!

bj

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Sonia
Merecida homenagem a um gênio da literatura brasileira. Mario Quintana foi perfeito.
Um abraço

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá amiga! Passando para retribuir a visita e apresentar minhas desculpas pela minha ausência. Infelizmente, motivos alheios à minha vontade me forçaram a isso. É que perdi uma parte viva da minha história, mas a vida continua. Espero mais uma vez, contar com a sua valiosa compreensão.

Abraços e fique com DEUS.

Furtado.

PS= Bela homenagem ao Mário Quintana.

Nanda Assis disse...

......................\.\.~.~././ ...................
.........................(@.@) ......................
..... ====oOOo=(_)=oOOo=======l
......|...........Oi passei por aqui.........|
......|........... para te deixar ...........|
......|.....................um.....................|
......|.....!!!!!!!!........
......|..............|....!...............|
......========Beijo ==Oo=====
...............ooo0...............(........).........
...............(.......)..............)...../ .........
................\.....(..............(__./ ...........
.................\.__) ..............................

Glória Müller disse...

Bonito demais...

"Amigos não consultem os relógios quando um dia me for de vossas vidas... Porque o tempo é uma invenção da morte: não o conhece a vida - a verdadeira - em que basta um momento de poesia para nos dar a eternidade inteira".

Beijos, Sônia!
Glória

Stella Tavares disse...

Quero valer um mar azul
uma estrela na varinha de condão
um poema de efeito mágico,
que seja fácil, que seja simples,
nem litúrgico, nem letárgico,
mas que fale ao coração...

Suas postagens nos recebem como se fosse um abraço. Um abraço de amigos que se vistam e se encantam. Adoro vir aqui, te encontrar e me encantar com imagens e poemas.
Bjs, amiga. Estava com mta saudade desse vento que transporta.

José Carlos Brandão disse...

Também sinto falta de Quintana. E me alegro vê-lo lembrado aqui e ali.
Como se ele dissesse: A vida dói, mas passa. Sopra, que passa.
Grande abraço.

Sônia Silvino disse...

Ah... o Quintana! Simplesmente divino!
Bjkas, muitas!

Matilde D'Ônix (Pseudónimo de Dolores Marques) disse...

Personalidades que interagem com o mundo de uma forma profunda


Beijos de saudades

poetaeusou . . . disse...

*
quintana,
o meu preferido !
,
Eu estava dormindo e me acordaram
E me encontrei, assim,
num mundo estranho e louco...
E quando eu começava
a compreendê-lo Um pouco,
Já eram horas de dormir de novo!
,
in-Mário Quintana
,
conchinhas,
,
*

M@ria disse...

Mês de Maio, mês das Rosas
Foi em Maio que eu nasci
Aquelas rosas cheirosas
Que eu comprava para ti

Que eu comprava para ti
Até ficava vaidosa
No mês de Maio eu nasci
E não tenho nome de rosa

E não tenho nome de rosa
Nem de qualquer outra flor
Se o meu nome fosse Rosa
Era a rosa do meu amor

Era a rosa do meu amor
Queria-o sempre ao pé de mim
Se eu fosse uma flor
A minha casa era um jardim

D.A

Beijos perfumados neste dia! M@ria

rosa-branca disse...

Lindas fotos e lindo poema de Quintana. Belo até depois da morte. Beijo meu

Isa disse...

E k bem escrevia! E k bem soam seus versos! E como VIVE entre nós.
Beijo.
isa.

AROBOS disse...

No conocía yo ese poeta. El poema que de él has puesto es muy bello.

Ivana Marisa Altafin disse...

Oi Sônia,
Fez muito bem não ligar para as críticas. Bela postagem, eu gosto muito de Mário Quintana e adoro ler coisas simples, que entendemos, que toca à alma. Um grande abraço!

Efigênia Coutinho disse...

Olá Sonia, essa Ilha da magia é deslumbrante, que fotos lindas, adorei amiga, e ainda ler este grande Poeta.

Quero desejar a você um FELIZ DIA DAS MÃES,
Pois ou temos, ou somos uma delas,
com afeto,
Efigênia
in New York

Menina Marota disse...

Apesar de conhecer o Poeta e alguma da sua poesia, desconhecia que ele fazia anos em 30 de Julho, igualmente o meu dia e mês de aniversário.

Grata por o recordar.

Um beijo

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.