.

.

03 junho 2010

Escreve o mar


Até a folha em que escrevo chega o mar
com seu pulsar cheio de naufrágios
como meu coração.


E na folha, da mesma forma que na areia,
escreve seu segredo trêmulo
e sua canção.

Banha de nácar e cristal meu sonho
diurno e, se calo, escreve em meu silêncio
seu coração.

(Como em outro planeta canta um pássaro.
Quase humana, respira a manhã
de jasmim e limão.

Talvez sonhada ou recordada voa
como uma ferida azul a mariposa
com sua ilusão).

Em uma onda vem todo o mar
e ao pé deste poema se desfaz
como uma rosa que cantara.

Onde é mais só o mar
e mais largo e mais fundo e terno e feroz
é no meu coração.

Eduardo Carranza



13 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida Sonia
Lindissimo este poema...e belas imagens para compor a moldura.

Beijinhos
Sonhadora

direitinho disse...

Hoje os meu olhar parou nesses barquinhos no meio do mar e mais alguns em terra.
Talvez a foto seja diferente do que estamos habituados.
Muito bonita.

Priscila Rôde disse...

Precisei salvar aqui comigo. Uma lindeza! Quase me perco!

UIFPW08 disse...

Quwerida Sonia tua foto é espetacular. Abraço
Morris

Karina Aldrighis disse...

Lindo mar, lindas paisagens...saudades de Floripa!Abraços

Malu disse...

As paisagens confirmam o poema e vice versa.
Perfeito.
Beijinhos

Graça Pereira disse...

O nosso coração...é como o mar...aonde ás vezes vêm ancorar...muitos amores...
Beijo e bomfds
Graça

Rosa Carioca disse...

Lindo! Eu sei que me repito... mas é só no que penso quando visito seu blog...

Lu Nogfer disse...

Lindissimo poema!
Imagens encantadoras
observei ate a gotinha caindo da folha!LINDO!

Beijos!

serpai disse...

Olá...!

Sabes...? O meu blog conta já com um ano...! E para a ocasião escrevi algo que também é para ti... e, de passagem, podes ver que há um selo que podes levar, se assim o quiseres... Pois, como o seu nome indica, serve para "selar" este vínculo que nos uniu neste tempo transcorrido..., isso me encantaria..., e faria completo este festejo e a minha alegria...!
Ou se não..., ofereço-te uma flor de Ceibo que é a flor do meu país: Argentina.

Obrigado pela tua presença...!

Cumprimentos,

SERGIO.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Sônia! Passando para te desejar um ótimo final de semana e dizer que amei o poema. Bela escolha.

Abraços,

Furtado.

Richard Mathenhauer disse...

Eu nunca sei se comento as poesias ou a poesia das imagens!

Que olhar você tem!

Abraços de quem a admira,

Arantza G. disse...

Bello poema
Muchos besos.

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.