.

.

02 junho 2010

O último poema. Depois.....


O poema que buscou a mulher
O poema dos vinhos
O poema que tocou sax
O poema das ilhas
O poema da alma
O poema carne
O poema meu
O poema seu
O poema lágrimas
O poema sorriso
O poema dilema
O poema teatro
O poema perdido
O poema eu
O poema você
O poema tempestade
O poema sereno
O poema libertino
O poema divino
O poema começo
O poema pergunta
O poema resposta
O poema que não conheço
O poema recomeço de mim
O poema que reconheço
Que cheguei ao fim.....
Então tuas mãos molhadas de verão,,,
da chuvas dos meus beijos
tocarão as porções espessas dos meus lábios
que depois de tantos poemas
estão com sedes do que prometeu pra mim...

Silroad Saxman.



8 comentários:

direitinho disse...

O poema eu
E o poema você

Poesia em tudo quanto se vê e se ama e que nos faz viver com o coração cheio de luz.

Lídia Borges disse...

Belas imagens!

As que são sugeridas pelas palavras também.

L.B.

tossan® disse...

Poema bonito e a primeira foto divina! Beijo

Priscila Rôde disse...

"depois de tantos poemas
estão com sedes do que prometeu pra mim..."

Lindo, lindo Sônia!

Wanderley Elian Lima disse...

Depois de tantos poemas, só falta cumprir a promessa.
Um ótimo feriado para você
Um abraço

Edward Gryffindor disse...

Preciosas tomas, bellos poemas. Felicidades por tu trabajo. Saludos

R.Ferrari disse...

A lagoa é um paraiso proporcionando matéria prima para lindas fotos.

M@ria disse...

Para encontrar o azul eu uso pássaros.
Só não desejo cair em sensatez.
Não quero a boa razão das coisas.
Quero o feitiço das palavras.

(Manoel de Barros)


Saudações Poéticas...Saudades...M@ria

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.