.

.

17 junho 2010

Remanso



Cismo a paz no silêncio do jardim,
apenas quebrado pelo chilrear de pássaros,
remanso da tarde que passa como brisa,
leve e cristalina, em paz comigo mesma.
A vida vai seguindo seu rumo,
segue este remanso lento, como rio
que corre sempre para o mar.
Vai na força da vida, amansando o coração,
como água que encharca a terra,
como asa veloz que atravessa o céu,
sem ruído, desfazendo-se em laços,
na nua aurora que cobre o poente.
Do remanso nascem as palavras,
tal como pássaros, nascem aladas,
aprendendo a voar em busca de sonhos,
falam da cor da flor, do gosto do amor,
numa rima vadia lanceada de ternura,
um poema ainda não dito a tecer vagas
incessantes de memórias de quem habita
entre o ontem e o amanhã de um dia iluminado,
luz indulgente que alumia a porta entreaberta
da poesia.

Sônia Schmorantz

7 comentários:

direitinho disse...

Gosto de ler a sua poesia.
É suave e transparente encantando pelos estados de alma que a guia.
Na tarde corre a brisa transparente e a vida segue o seu curso entre o ontem e o amanhã.
Beijinhos poéticos.

João Menéres disse...

SÓNIA

Estou aqui, cedo na manhã, para me redimir das minhas ausências e para dizer quanto apreciei o lindo poema e também o fundo de UM VENTO NA ILHA que tanta inspiração nos proporciona.

Beijo para ti.

Bloguinho da Zizi disse...

Sonia
Vim recarregar a bateria pra encarar a 6a. feira.
Respirar este ar puro me faz muito bem.
Gratidão
Beijos e bom fim de semana

sam rock disse...

Sonia, que suerte poder disfrutar de un remanso de paz. La mayoría de las veces está dentro de nosotros, pero nuestra ceguera egoísta nos lleva a buscarlo con la consiguiente pérdida de tiempo y energía en lugares donde no existe.

Un fuerte abrazo y buen fin de semana.

SolBarreto disse...

Linda poesia Sonia!
E essa beleza de Alma que encanta este lugar!!

Henrique Rodrigues Soares disse...

Sônia, tu sabes como aprecio sua poesia, mas uma para postar futuramente.
Sds.

Henrique Rodrigues Soares disse...

Sônia, tu sabes como aprecio sua poesia, mas uma para postar futuramente.
Sds.

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.