.

.

12 julho 2010

Olhar



Vaza uma luz nos olhos teus
Que atravessa pântanos e vales
Passa uma mensagem, sem que fales
Nada que chegue aos ouvidos meus.
Mas meu coração entende tudo
O que meu olhar visa em teus olhos
Sem dificuldades, sem abrolhos,
Posso captar, mesmo que mudo,
Este teu sinal, de luz somente,
Que ilumina minha escuridão
E me faz ficar feliz, contente
Como um passarinho solto à mão.

José Magno
Paisagens na rodovia entre Florianópolis e Itapema, no domingo.

13 comentários:

Dora Regina disse...

Um olhar as vezes vale mais que muitas palavras...
Um grande abraço, fique bem!

Luís Coelho disse...

Os poemas que os olhares fazem.
Não são precisas palavras. O coração entende até todas as cambiantes de luz.

Wanderley Elian Lima disse...

As vezes basta um olhar para o coração entender.
Um abraço

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Claro, os olhos dizem tudo.Desejo linda semana

Vitor Chuva disse...

olá Sonia!

O amor tem mesmo formas própias de comunicar; basta estar na frequência certa para as entender ...
É bonito.

Um abraço.
Vitor

Dan disse...

Belas imagens e música é linda!
Parabéns pelo seu estilo blog é processado em beleza!

LOURO disse...

Olá Sónia!

Vaza uma luz nos teus olhos,Que nos dá a beleza destas fotos...Lindo!!!

Beijinhos de carinho e amizade
Lourenço

sam rock disse...

Bellos paisajes y profunda poesía.

Un abrazo

in natura disse...

Oi Sônia, foi o seu olhar que viu a beleza das paisagens e do lindo poema porque você é linda por dentro e por fora. Beijuss

Daniel Costa disse...

Sônia

Um poema para um ser um exclarecido, pois anota a possibilidade de um entendimento apenas pelo sentir. Tenho de convir ser um poema interessant5e de José Magno.
Abraços

Daniela Ortega disse...

Sonia! LINDÍSSIMO seu blog, um deleite à alma.

Quero voltar aqui sempre pra conferir as novidades.

Está excelente o blog!!!!

Belíssimo.

Saudade! Grande Abraço!

Mar Arável disse...

Sempre belo

espreitar a sua janela

Sonhadora disse...

Minha querida
Um olhar diz tanto.
Gostei do poema.

Beijinhos
Sonhadora

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.