.

.

07 julho 2010

OS SILÊNCIOS


Não entendo os silêncios
que tu fazes
nem aquilo que espreitas
só comigo
Se escondes a imagem
e a palavra
e adivinhas aquilo
que não digo
Se te calas
eu oiço e eu invento
Se tu foges
eu sei não te persigo
Estendo-te as mãos
dou-te a minha alma
e continuo a querer
ficar contigo.

Maria Teresa Horta




15 comentários:

RETIRO do ÉDEN disse...

Lindas fotos e palavras escolhidas.
Cultivo sempre que posso o silêncio.
Forte abraço
Mer

Terapia das palavras... disse...

Lindo..este texto.Adorei..
Tanto se pode dizer no silencio de um olhar apenas..

Isa disse...

Escritora de referência,a escolhida hoje.
Belas fotos tb. e saudades de você.
Beijo.
isa.

ღPat.ღ disse...

Sônia,
Tuas imagens são quadros lindos de paisagens fantásticas... e os poemas que publicas,encantos!

Adoro imenso estar aqui.. tenho a impressão de estar dentro da natureza.

beijos com muito carinho e amizade.

Déia disse...

As fotos sao sempre fantásticas...

E vou confessar a vc. Amo o silêncio. Nele me encontro, me ouço, reflito e me conserto!

bj

O Profeta disse...

Esta ilha não tem fortuna
Trocou-a por um curioso mistério
Este irreal e intenso verde
Que inunda o olhar mais sério

Nesta ilha há um beijo na tua procura
Nesta ilha as pedras não têm idade
Nesta ilha as juras são lançadas à maresia
Nesta ilha o sonho é janela da verdade

Doce beijo

Priscila Lima disse...

serena palavras...

ju rigoni disse...

Belo, o poema da Maria Teresa Horta. Ah, esses quereres...

As fotos, sempre lindas, Sonia!

Bjs e inté!

Alda disse...

Lindo poema Sónia! É sempre tão bom passar por aqui!
Bom fim de semana!
Bjs

MEUS PENSAMENTOS disse...

OI SONIA TO DE VOLTA JA DESCANSADA...
LINDO POEMA MAIS DIVINAS SÃO AS FOTOS,TA LINDA DE VERMELHO QUERIDA BJS!

tossan disse...

Belíssimo poema e foi bem escolhido pela também poetisa que admiro muito. As foto são ótimas com destaque para a primeira. Beijo

Vitor Chuva disse...

Olá Sonia!

Há muito que pode ser dito e sentido sem palavras; o silêncio, muitas vezes, fala por elas.
As fotos, como sempre, também não precisam delas !

Um abraço.Bom fim de semana.
Vitor

Richard Mathenhauer disse...

Quanta coisa num silêncio!
Mas o silêncio pode trazer a angústia de não saber bem o que se passa com o outro... põe-se então a excogitar, construir mil possibilidades...

Lindas as fotos.

Abraços de quem a admira,

AROBOS disse...

Bellísimo poema de Maria Teresa Horta. Y las fotos de las gaviotas son muy buenas.

Malu disse...

Minha linda, vim ler um poema para aquecer minha alma e deixar beijinhos de um bom fim de semana

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.