.

.

06 julho 2010

Pensamentos de Mágoa


Boiam leves, desatentos,
Meus pensamentos de mágoa,
Como, no sono dos ventos,
As algas, cabelos lentos
Do corpo morto das águas.

Boiam como folhas mortas
À tona de águas paradas
São coisas vestindo nadas,
Pós remoinhando nas portas
Das casas abandonadas.

Sono de ser, sem remédio,
Vestígio do que não foi,
Leve mágoa, breve tédio,
Não sei se pára, se flui;
Não sei se existe ou se dói.

Fernando Pessoa


11 comentários:

serpai disse...

QUE LNDO....!!SOLO DEJA QUE VUELEN......

TE DEJO MIS SALUDOS.


SERGIO

El Drac disse...

Pessoa, um ícone em Português e poesia internacional, e é um luxo poder desfrutar, obrigado por compartilhar

Rosa Carioca disse...

Tudo belo! O poema, a canção, as fotos.

Chica disse...

Maravilhoso Pessoa e tuas fotos!beijos,lindo dia,chica

Priscila Rôde disse...

Acordei faz pouco tempo e venho cá ler o seu blog. Que maravilha. O Pessoa logo de cara e essas imagens lindas! rs


Um beijo.

Priscila Lima disse...

magnifico minha cara!

Sonhadora disse...

minha querida
Passei para deixar um beijinho
Sonhadora

Isa disse...

Sempre belo,deslumbrante mesmo.
Beijo.
isa.

Caminhos Poéticos disse...

A vida é sempre a mesma para todos: rede de ilusões e desenganos. O quadro é único, a moldura é que é diferente.

Florbela Espanca


Feliz Noite.....Beijos meus!!M@ria

SolBarreto disse...

Só tenho uma coisa a dizer...lindo!lindo!lindo!

M@ria disse...

"Palavras gentis podem ser curtas e fáceis de falar, mas os seus ecos são efetivamente infinitos."

(Madre Teresa de Calcutá)

Bons sonhos e beijos meus!! M@ria

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.