.

.

29 agosto 2010

A DANÇA



Não te amo como se fosse rosa de sal, topázio
ou flecha de cravos que propagam o fogo:
te amo secretamente, entre a sombra e a alma.

Te amo como a planta que não floresce e leva
dentro de si, oculta, a luz daquelas flores,
e graças a teu amor vive escuro em meu corpo
o apertado aroma que ascender da terra.

Te amo sem saber como, nem quando, nem onde,
te amo diretamente sem problemas nem orgulho:
assim te amo porque não sei amar de outra maneira,

Se não assim deste modo em que não sou nem és
tão perto que a tua mão sobre meu peito é minha
tão perto que se fecham teus olhos com meu sonho.

Pablo Neruda


12 comentários:

Lídia Borges disse...

Perfeita combinação esta: Neruda, mar e música.

Deixei-me encantar!

Um beijo

Sonhadora disse...

Minha querida
Passei para deixar um beijinho.

Sonhadora

Adolfo Payés disse...

Un gusto siempre visitarte..

Un abrazo.
Con mis
Saludos fraternos...


Suerte, para este semana que comienza, mis mejores deseos..

Mar Arável disse...

Um casamento

em comunhão de bens

Bj

tossan disse...

Neruda! Tuas fotos...Tudo fascinante no ritmo da valsa! Beijo

Agulheta disse...

Sónia! Já com alguma saudade,é verdade mas não deu.E que belo regresso aqui,Neruda um poeta de minha eleição,pelas palavras e sentimentos contidos nos seus poemas.Beijinho

"Cantinho Poético" disse...

Minha poesia
É a imagem lúcida
Captada
Do facho de luz
Dos teus olhos,
Que eu converto em palavras.

Oswaldo Antonio Begiato


Saudações Poéticas! Beijos!!

Daniel Costa disse...

Sônia

Além da beleza que as ilustrações conferem a cada post, que sempre o caracterizam. O poema de Pablo Neruda é magnifico. O poeta mexe com os sentimentos dos seus leitores.
Abraço.

Rosa Carioca disse...

Amar, simplesmente... é tudo!

Carmem Teresa disse...

Olá! Neruda é desses autores que invadem nosso coração, nosso sentir, nossa escrita.Um mestre muito bem representado em sua página. LINDO!!!!

Graça Pereira disse...

Soninha
Pablo Neruda encaixa-se perfeitamente neste mar azul e no vento que passa cantando.
Beijo
Graça

Vitor Chuva disse...

Olá Sonia!

Nem sempre é fácil explicar o amor ou a forma como se ama, e nem todos o exprimem da mesma maneira: Pablo Neruda fá-lo muito bem - à sua maneira.

O mar, como habitual, por aqui é sempre lindo.
Um abraço.
Vitor

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.