.

.

07 outubro 2010

Tenho um amor



Tenho um amor fresco e com gosto de chuva,
e raios e urgências.
Tenho um amor que me veio pronto.
Assim, água que caiu de repente.
Nuvem que não passa.
Me escorrem desejos pelo rosto, pelo corpo.
Um amor susto.
Um amor, raio trovão fazendo barulho.
Me bagunça.
E chove em mim todos os dias.

Caio Fernando Abreu




15 comentários:

Ana Lúcia Porto disse...

Adoraria ficar debaixo dessa chuva...!!

Beijos, Sônia... e bom final de semana.

Osvaldo disse...

Sônia;

Como é bom recordar as tardes cálidas do Rio em que passeando com o meu amor, a chuva de verão se misturava às nossas juras eternas. Talvez devido a essas gotas de chuva, este amor já dura e permanece sólido há 40 anos.
Sônia, o que este belo poema me foi lembrar!...
bjs,
Osvaldo

Luís Coelho disse...

Ter um amor assim será certamente muito complicado.
Penso que essas chuvadas não fazem bem a ninguém e todos os temporais tem limites.
Poema muito belo pela diferença.

Francisco Vieira disse...

Bom dia!

Muito interessante o seu blog. Fiz registo e tenciono voltar

Bom fim de semana

Wanderley Elian Lima disse...

Bom quando o amor chega, quando menos esperamos, e toma conta de nós. Caio Fernando era um gênio.
Um abraço

Graça Pereira disse...

Gostei do poema...Há algo mais bonito do que namorar debaixo de uma chuvada de Verão?
Beijo
Graça

ARO disse...

Linda lluvia de amor. Feliz fin de semana.

Priscila Rôde disse...

Estou pingando...

:)


Um beijo!

sam rock disse...

Que esa lluvia siga cayendo sobre usted, bien mansamente o con fuerza, pero que no decaiga su frescura.

Un fuerte abrazo y feliz fin de semana.

Ana Martins disse...

Que amor lindo!

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

KêDy disse...

LIndo blog...parabens.! visitarei mais....Abraço

JULIANA PAEZ disse...

Adorei o Poste Soninha!!
Quanto tempo faz que não passo por aqui, estava com saudades!!

Nada como ter um amor!!

Lindas palavras!!!

Bjo grande da JU

Branca disse...

Delícia de chuva...delícia de amor, que bagunça, que desatina, mas que dá conta de todos os anseios, todas as urgências.

Adoro esse texto do Caio!

Bjo amiga!

Helena Castelli disse...

Sônia, voce possui um olhar clínico de fotógrafa que me emociona... linda foto das casas coloridas... aliás todas as fotos são belíssimas... são elas que dão o tom ao seu blog...

Beijos com carinho.

Sonhadora disse...

Minha querida
Um lindo e sensível poema.

Deixo beijinhos
Sonhadora

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.