.

.

23 outubro 2010

Uma Canção


Eu preparo uma canção
em que minha mãe se reconheça,
todas as mães se reconheçam,
e que fale como dois olhos.

Caminho por uma rua
que passa em muitos países.
Se não me vêem, eu vejo
e saúdo velhos amigos.

Eu distribuo um segredo
como quem ama ou sorri.
No jeito mais natural
dois carinhos se procuram.

Minha vida, nossas vidas
formam um só diamante.
Aprendi novas palavras
e tornei outras mais belas.

Eu preparo uma canção
que faça acordar os homens
e adormecer as crianças...

(Carlos Drummond de Andrade)




5 comentários:

Bloguinho da Zizi disse...

Ah.... Drummond...
Sempre com uma canção..
Sempre um alento ao coração...
Bom domingo Sônia

Confissões de uma borboleta disse...

Drummond, poeta de Itabira.
Com toda a sensibilidade e o reboliço que causam os seus versos.
Muito bom.
Beijos

ENCONTRO COM A POESIA disse...

tava dodoi mais voltei!!!com novo projeto te espero la!marcinha.

Victor Gil disse...

Olá minha boa amiga.
Como sempre as fotos são fabulosas, mas as palavras de Drummond de Andrade, são a outra maravilha do teu post.
Beijos amiga.
Victor Gil

Dora Regina disse...

Olá Sonia, passando para apreciar seu lindo espaço, aproveito a oportunidade, deixo um grande abraço.
Boa semana!

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.