.

.

28 novembro 2010

Deixa-me amar-te


Deixa-me amar-te em meus silêncios
Na calmaria do teu coração que me acolhe
E de onde se desprendem meus sonhos
Em vôos etéreos de plena liberdade

Deixa-me amar-te em minha solidão
Ainda que meus labirintos te confundam
E que teus fios generosos de compreensão
Emaranhem-se no tapete dos meus enigmas

Deixa-me amar-te sem qualquer explicação
Na ternura das tuas mãos que me sorriem
Escrevendo desejos em versos despidos
Na minha alva tez que te cobre e descobre

Deixa-me amar-te em meus segredos
Para que desvendes o que também desconheço
A alma dos meus abismos onde anoiteço
E meus olhos adormecem embalados pelo mistério

Deixa-me amar-te em tuas demoras, longas horas
Em que meu corpo se veste de céu à tua espera
E minhas mãos em frenesi acendem estrelas
Para alumiar-te, ainda que ausente estejas…

Fernanda Guimarães


Imagens da Praia do Estaleiro

8 comentários:

Glória disse...

Ah, Sônia... Como eu gostaria de escrever assim, mas posso me sentir assim. Lindo demais!!!
Beijos
Glória

Wanderley Elian Lima disse...

As vezes a gente só que amar, mesmo que esse amor não corresponda às nossas ansiedades.
Um abraço

HELENA AFONSO disse...

LINDO! Tinha saudades de me encantar com seus poemas, agora estou de volta, para relatar as belezas que os meus olhos viram por esse mundo fora....e como é bom amar esses lugares!!
HELENA

Confissões de uma borboleta disse...

O amor é sempre glorioso...
Em todas as suas formas e intenções.
Beijos

SolBarreto disse...

Lindo poema e fica ainda mais lindo com essa musica de fundo...
!Deixa-me amar-te em minha solidão
Ainda que meus labirintos te confundam
E que teus fios generosos de compreensão
Emaranhem-se no tapete dos meus enigmas"
Amei esse trecho!

Anna disse...

Poema, música, imagem, tudo tão perfeito, tudo tão bonito como é bonito o amor, amiga!
Um dia de vitórias para você e os seus e que o amor perpetue-se a cada dia mais em sua vida!
bjus em seu coração

http://fragmentosdminhalma.blogspot.com

Mar Arável disse...

Amar também é resistir

contra a indiferença

rosa-branca disse...

Belas fotos e bela escolha poética. Beijos

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.