.

.

02 dezembro 2010

Breve instante


Sussurra o vento nas folhas....
Eis-me aqui em irreversível instante!
Eis-me aqui numa espera instigante!

Caem sobre mim, folhas dos teus versos,
Nos dias de sol ou nos dias que se vão sem ele.
Eu desejo o sonho mais puro,
Mantendo-me viva nele.

Brotam em ti as gotas do orvalho noturno.
Brotam em mim literárias falas.
Nos teus olhos, então me descubro,
Na verdade, onde tu calas.

Eritânia Brunoro



7 comentários:

Nanda Assis disse...

ta lindoo!!! adorei ler.

bjosss...

0000000000000000000000000
0000*****0000000*****0000
00*********000*********00
0***********0***********0
0***********************0
0***********************0
00*********Bjo**********0
000*******************000
00000***************00000
0000000***********0000000
0000000000*****0000000000
000000000000*000000000000
0000000000000000000000000

Luís Coelho disse...

Um poema cheio de ternura e encanto.

O nosso olhar segue o sussurro das folhas tocadas pelo vento.

..."Caem sobre mim, folhas dos teus versos,
Nos dias de sol ou nos dias que se vão sem ele."...

Sinto saudades da vossa passagem no lidacoelho

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Sonia
Os olhos muitas vezes revelam o que as palavras teimam esconder.
Um lindo fim de semana para você
Um abraço

Maria disse...

Lindissimo poema.
Tenha um fim-de-semana cheio de paz e felicidade.
“Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho.” (Mahatma Gandhi )
Beijinhos
Maria

Vieira Calado disse...

Olá, boa noite!

Passei para ler

e desejar-lhe um bom fim de semana.

http://maxalas.blogspot.com disse...

http://maxalas.blogspot.com News from around the world, videos, live football games, photos

http://maxalas.blogspot.com disse...

http://maxalas.blogspot.com News from around the world, videos, live football games, photos

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.