.

.

10 abril 2011

Lâmina de Mágoa


Na palavra desarmante
me encontras presa
oscilante
entre a manhã que adivinho
e a noite que anuncias.
E é na orla dos dias
desse difícil caminho
que te chamo amor
amante
lançando a voz sobre o fio
dessa lâmina de mágoa.
Vê que no leito do rio
que o teu olhar alcança
o meu corpo é a água.

Publicado por Lique no site http://mulher50a60.weblog.com.pt/arquivo/poesia/
em 22/maio/2006





7 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida

Um poema lindo e as imagens, maravilhosas.

eixo um beijinho
Sonhadora

M@ria disse...

Tente. Sei lá, tem sempre um pôr-do-sol esperando para ser visto, uma árvore, um pássaro, um rio, uma nuvem. Pelo menos sorria, procure sentir amor. Imagine. Invente. Sonhe. Voe.

Caio Fernando Abreu

Amor & Paz na nova semana! Beijos meus...M@ria

M@ria disse...

Tente. Sei lá, tem sempre um pôr-do-sol esperando para ser visto, uma árvore, um pássaro, um rio, uma nuvem. Pelo menos sorria, procure sentir amor. Imagine. Invente. Sonhe. Voe.

Caio Fernando Abreu

Amor & Paz na nova semana! Beijos meus...M@ria

M@ria disse...

Tente. Sei lá, tem sempre um pôr-do-sol esperando para ser visto, uma árvore, um pássaro, um rio, uma nuvem. Pelo menos sorria, procure sentir amor. Imagine. Invente. Sonhe. Voe.

Caio Fernando Abreu

Amor & Paz na nova semana! Beijos meus...M@ria

Luciane Morais disse...

Que lindas imagens...a poesia tb*

Uma linda semana pra vc* TUDO DE BOM*

Abraços,
Lu

Henrique Colonese disse...

Simplesmente magnífico, as imagens diz tudo...
Parabéns.
campechefatosefotos.blogspot.com

Carmem disse...

Sonia...
Que coisa linda vir aqui...
Andei afastada um pouco dos blogs...
Agora voltei e vim te visitar...
Que coisa linda está o teu Blog..
Parabéns..
Beijooooo

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.