.

.

30 maio 2011

Retrospectiva


Enquanto subia as montanhas
O caminho me percorria...
Conhecia as pedras...as flores...
Plantava sentimentos...
Colhia aprendizados...
Desviando dos obstáculos

Depois que desci ao vale
Me vi distante da paisagem
Que me desnudava...
Fiquei ausente de mim
Como a flor que foi colhida
Antes da primavera

Hoje , nem mais jardim,
Nem tampouco montanha
Sou a resposta ao percurso
Do caminho que não fiz
Pois sou a manhã de ontem
Misturada à noite de amanhã.

Ivone Zouain Zuppo

Lagoinha, Florianópolis
Lagoa do Peri


6 comentários:

Amor feito Poesia disse...

Gratidão é a flor mais
bela que nasce da alma,
e que o coração humano não
conhece outra mais perfumada.

(Hosea Ballou)

Beijos & Flores! M@ria

Graça Pereira disse...

Tenho andado ausente...mas voltei!
Linda esta retrospectiva que faz bem ao coraç
ao, embalado nesta música!
As fotos continuam deslumbrantes!
Beijo
Graça

Sotnas disse...

Olá Sônia, desejo que tudo esteja bem contigo!
Belo poema e linda imagem como sempre tem sido por teu belo espaço!
Talvez por sermos parte dela, a natureza, longe dela sentimos que algo nos falta, assim como partes do nosso próprio corpo. Difícil explicar, pois com alguns é mais intenso, já com outros, nos dão a impressão que jamais pertenceram a este meio!
Agradecido pelas visitas, eu desejo a você e todos ao redor intensa felicidade, um enorme abraço e até mais!

Luís Coelho disse...

Eu quero subir à montanha e quero descobrir-me no caminho.
Quero sentir a força das palavras que me fazem e me dão razão nos passos da subida ou na revisão da descida.

David J. Pereira disse...

Boas!

Adoro este blogue

Podes adicionar o meu aos teus links sff?

http://davidjosepereira.blogspot.com/

Obrigado :)

Amor feito Poesia disse...

Dei de beber às lindas borboletas
chá de jasmim, água de cheiro
ficou uma algazarra no jardim
e até os passarinhos
vieram a mim
dei-lhes também um pouco de afeição
grãozinhos dourados
e folhas de alecrim.
Está tudo em paz no meu coração...

£UNA

Bom FDS...Beijos de coração prá coração. M@ria

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.