.

.

01 julho 2011

Tempo


O tempo se dobrou como a folha do dicionário.
E foi deixando marcas indeléveis.

À primeira dobra não dei importância.
Acreditei que um passar de dedos poderia alisá-la,
o próprio peso do papel iria corrigir o amassado.

Um dia os sonhos foram perdendo altura
e soube que essas marcas nunca sumiriam.

Página virada, a ruga hoje,
faz parte do sorriso.

Augusto Sérgio Bastos


Imagens à toa, tiradas no pátio de casa, já que a chuva e o frio não deixam sair...

7 comentários:

Graça Pereira disse...

O tempo, deixa sempre marcas e ainda bem! Seria terrível chegar ao ocaso da vida e encontrar uma página em branco!
Poema lindissimo de Augusto Bastos.
Bj e bom fds.
Graça

Rosani Nauar disse...

Minha querida amiga Sônia!

Como é bom entra aqui, sua energia está repleta nas imagens, na músicas, e cada poesia sua e dos ótimos autores que voce divulga.
O tempo magia como guarda os momentos de felicidade como joias preciosas.

beijos, Rosani

Pepe Ventureira disse...

Hola Sonia...gracias por hacerme percibir los cambios lógicos del día a día.

Un abrazo

MARILENE disse...

As rugas são sinais de vivências, realmente. Mas não limitam horizontes e sonhos.
As fotos estão muito boas!!!
Bjs.

Malu disse...

Ainda bem que o tempo nos marca e junto com essas marcas vamos construindo um pouco de nós...
Saudades, Soninha...
Deixo um grande abraço.

ASHLEA disse...

Olá querida amiga, passando aqui no seu cantinho mágico para te dar um oi e desejar uma semana maravilhosa!

Beijos,


Léa

Ulisses Reis ® disse...

Amo quando o que escreve me faz sentir e você o faz de maneira gostosa e já vou seguir você e tenha uma linda noite, beijos !!!

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.