.

.

21 março 2012

Canção de Outono


O outono toca realejo

No pátio da minha vida.

Velha canção, sempre a mesma,

Sob a vidraça descida...


Tristeza? Encanto? Desejo?

Como é possível sabê-lo?

um gozo incerto e dorido

de carícia a contrapelo...


Partir, ó alma, que dizes?

Colhe as horas, em suma...

mas os caminhos do Outono

Vão dar em parte alguma!


Mário Quintana




Imagens 1 e 2: Praia da Ferrugem - Garopaba/SC









Costa da Lagoa, Florianópolis, SC

Um comentário:

LOURO disse...

Olá Sónia!

Lindas fotos,com um belo poema de Mário Quintana...Parabéns pela escolha.

Beijinhos de carinho e amizade,
Lourenço

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.