.

.

15 maio 2012

Saudade de mim



Eu tinha em minhas mãos
toda a ternura
todo o frescor
das manhãs de outono.
Eu carregava em meus gestos
a simplicidade, a alegria
e a leveza de um pássaro.
Passei…
Conservei em meu peito
uma saudade infinita
morna, doce, inexplicável
como os sonhos carregados
dessa ternura, desses gestos
perdidos num tempo distante.
Trouxe comigo
saudades de mim.
Hoje, em meu caminho,
novas paisagens se revelam
um tanto longínquas,
coloridas pelos meus olhos de agora.
Mas elas estão lá e me esperam.
Aguardam meus passos.
E a leveza de minhas mãos
descortinarão auroras…
 
Janete Cortez   - 30/03/2001


4 comentários:

tossan® disse...

O poema é lindo e as fotos eu vi você fazer. O seu olhar para fotografia é sublime! E a Canon nova? Bj

Suu Munizz disse...

Linda poesia!
O tempo passa e conservam-se os momentos bons,as saudades gostosas de sentir e vamos seguindo com leveza os caminhos que a vida tem para nós!
Um ótimo final de semana,amei as imagens daqui!abraço,=)

poetaeusou . . . disse...

*
um belo Poema,
num Belissimo Post !
,
conchinhas,
deixo,
*

Baraçal-press ® disse...

Boa noite, excelente final de semana ao grande casal, pois os conheço através do meu irmão Tossan, bom registro de fotos bem como os poemas, fiquem com nossa mãe Maria seu filho Jesus e Deus, bye, bye, fuiiiiii...
Há no Google: Baraçal-press

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.