.

.

09 junho 2013

Amigos, nada mudou


Amigos, nada mudou
em essência.
Os salários mal dão para os gastos,
as guerras não terminaram
e há vírus novos e terríveis,
embora o avanço da medicina.
Volta e meia um vizinho tomba morto
por questão de amor.
Há filmes interessantes, é verdade,
e como sempre, mulheres portentosas
nos seduzem com suas bocas e pernas,
mas em matéria de amor
não inventamos nenhuma posição nova.
Alguns cosmonautas ficam no espaço
seis meses ou mais, testando a engrenagem
e a solidão.

Em cada olimpíada há recordes previstos
e nos países, avanços e recuos sociais.
Mas nenhum pássaro mudou seu canto
com a modernidade.
Reencenamos as mesmas tragédias gregas,
relemos o Quixote, e a primavera
chega pontualmente cada ano.
Alguns hábitos, rios e florestas
se perderam.
Ninguém mais coloca cadeiras na calçada
ou toma a fresca da tarde,
mas temos máquinas velocíssimas
que nos dispensam de pensar.
Sobre o desaparecimento dos dinossauros
e a formação das galáxias
não avançamos nada.

Roupas vão e voltam com as modas.
Governos fortes caem, outros se levantam,
países se dividem e as formigas e abelhas continuam
fiéis ao seu trabalho.

Nada mudou em essência.

Cantamos parabéns nas festas,
discutimos futebol na esquina
morremos em estúpidos desastres
e volta e meia
um de nós olha o céu quando estrelado
com o mesmo pasmo das cavernas.
E cada geração , insolente,
continua a achar
que vive no ápice da história.


4 comentários:

Ricardo/águia_livre disse...

Bonito blogue onde a harmonia das palavras se enlaça em frases perfeitas. Textos e imagens lindissimas Poema lindíssimo. Gostei de ver e ler. Parabéns.

Gostava que visitassem e, querendo, se fizessem seguidos/as. Fica o meu agradecimento. Obrigado.

http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/
********************
Sou seguidor
Linkei o endereço deste fantástico blogue, no meu ( Pensamentos e devaneios)
*****
Deixo cumprimentos

Lídia Borges disse...


Inteligente visão da não-evolução do Homem. Já era tempo de se aprender a humanidade.

Obrigada pela partilha.


Cidália Ferreira disse...

Fantástico..sem palavras! Lindo.

Tenho um cantinho que ainda é bebé..
Gostava que me visitasse:http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Obrigada... fiquei seguidora..
beijo

Sotnas disse...

Olá Sônia, e que tudo esteja bem!

E novamente por cá venho e com enorme prazer sou envolvido pelo encantamento deste teu belo espaço, com escritos de sensibilidade intensa e imagens deveras expressivas, obrigado pelo teu bom gosto nas postagens e por compartilhar tanto encantamento, além, das verdades expressas nas palavras deste escrito, e, parabéns!
E assim triste por saber que minhas desconfianças sobre a (não) evolução do animal homem faz sentido, mas, deveras encantado pela beleza deste teu espaço, me vou e deixo cá meu agradecimento por tua amizade expressa nas visitas e comentários por lá deixados, eu desejo que o teu viver seja sempre de intensa felicidade, um grande abraço e, até mais!

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.