.

.

26 novembro 2012

Há sem dúvida




Há sem dúvida quem ame o infinito,


Há sem dúvida quem deseje o impossível,

Há sem duvida quem não queria nada -

Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles:

Porque eu amo infinitamente o finito,

Porque eu desejo impossivelmente o possível,

Porque eu quero tudo, ou um pouco mais, 

se puder ser,


Ou até se não puder ser…



Alvaro de Campos







25 novembro 2012

Aqui nesta praia



Aqui nesta praia onde
Não há nenhum vestígio de impureza,
Aqui onde há somente
Ondas tombando ininterruptamente,
Puro espaço e lúcida unidade,
Aqui o tempo apaixonadamente
Encontra a própria liberdade.

Sophia de Mello Breyner Andresen



22 novembro 2012

E se um dia



E se um dia puder

Espalhar-me pelo mar
Fundir-me no tempo
Ou soltar-me no ar
Deixarei de ser homem
Serei finalmente
Somente memória
Um sopro de sal
Que o vento carrega
Num segundo de história.

Manuel F. C. Almeida



20 novembro 2012

Fim de um ato



Num momento o amor, depois
Numa fração de minutos a descoberta,
O corte profundo, dividindo mais um ato.
Solta num labirinto confuso,
Depressa demais a vida muda de novo,
E o que antes era tudo vira nada...
E ninguém falou,
Todos calaram
Vendo o corte sangrar.
Depressa novos ventos sopraram
Para outros lados,
Mas aqui tudo parado,
Como alguém que morre e não sabe,
Confuso procura por seu corpo.
A falsidade me devolveu ao vazio,
E enquanto a felicidade mudava de rumo,
Ninguém me disse nada,
E enquanto sangrava o outro dançava,
Sem maior explicação
Fui devolvida à solidão,
E todos ficaram calados...

Sônia Schmorantz


17 novembro 2012

Você é...



Você é os brinquedos que brincou, as gírias que usava, você é os nervos a flor da pele no vestibular, os segredos que guardou, você é sua praia preferida, Garopaba, Maresias, Ipanema, você é o renascido depois do acidente que escapou, aquele amor atordoado que viveu, a conversa séria que teve um dia com seu pai, você é o que você lembra.

Você é a saudade que sente da sua mãe, o sonho desfeito quase no altar, a infância que você recorda, a dor de não ter dado certo, de não ter falado na hora, você é aquilo que foi amputado no passado, a emoção de um trecho de livro, a cena de rua que lhe arrancou lágrimas, você é o que você chora.

Você é o abraço inesperado, a força dada para o amigo que precisa, você é o pelo do braço que eriça, a sensibilidade que grita, o carinho que permuta, você é as palavras ditas para ajudar, os gritos destrancados da garganta, os pedaços que junta, você é o orgasmo, a gargalhada, o beijo, você é o que você desnuda.

Você é a raiva de não ter alcançado, a impotência de não conseguir mudar, você é o desprezo pelo o que os outros mentem, o desapontamento com o governo, o ódio que tudo isso dá, você é aquele que rema, que cansado não desiste, você é a indignação com o lixo jogado do carro, a ardência da revolta, você é o que você queima.

Você é aquilo que reinvidica, o que consegue gerar através da sua verdade e da sua luta, você é os direitos que tem, os deveres que se obriga, você é a estrada por onde corre atrás, serpenteia, atalha, busca, você é o que você pleiteia.

Você não é só o que come e o que veste. Você é o que você requer, recruta, rabisca, traga, goza e lê. Você é o que ninguém vê.

Martha Medeiros



15 novembro 2012

Se eu fosse um padre



Se eu fosse um padre, eu, nos meus sermões,
não falaria em Deus nem no Pecado
— muito menos no Anjo Rebelado
e os encantos das suas seduções,

não citaria santos e profetas:
nada das suas celestiais promessas
ou das suas terríveis maldições...
Se eu fosse um padre eu citaria os poetas,

Rezaria seus versos, os mais belos,
desses que desde a infância me embalaram
e quem me dera que alguns fossem meus!

Porque a poesia purifica a alma
...e um belo poema — ainda que de Deus se aparte —
um belo poema sempre leva a Deus!



(Mario Quintana)
Texto extraído do livro "Nova Antologia Poética", Editora Globo - São Paulo, 1998, pág. 105.

 

 

Penso e Passo


Quando penso que um palavra
Pode mudar tudo
Não fico mudo
Mudo

Quando penso que um passo

Descobre o mundo
Não paro o passo
Passo

E assim que passo e mudo

Um novo mundo nasce
Na palavra que penso.

Alice Ruiz


14 novembro 2012

Dias ruins para Florianópolis

Desde o dia 12 deste mês, a capital e outras cidades de Santa Catarina, vem sofrendo de atos de terrorismo, ônibus foram incendiados cedo da noite e em meio às ruas, causando vários estragos e assustando as pessoas que dependem deste meio para se locomover ao trabalho. Hoje, em especial, foi necessário a escolta da polícia para que os ônibus pudessem nos trazer para casa. Vários outros atos contra o patrimônio público e contra a polícia, até escolas e residências, foram a constante. Em algumas horas apenas a cidade virou um caos. Os noticiários estaduais e nacionais, mostraram até aqui, uma pequena parte, como um acontecimento casual, no entanto o assunto é bem mais sério e está a exigir um posicionamento rápido das autoridades, para que não se repita aqui o que já vem acontecendo em outras capitais. Preferi não mostrar imagens da destruição, e sim apenas alertar para que as pessoas fiquem mais atentas e torcer que isso seja passageiro. O facebook tem sido o melhor noticiário, porque as pessoas é que estão divulgando os acontecimentos em tempo real e retratando os fatos em toda a sua amplitude, sem as amarras dos meios de comunicação.
Mas para finalizar o dia, melhor não deixar somente uma notícia triste para nós, mas deixar também uma mensagem de otimismo, para que dias melhores venham logo.



Desejo que, no auge do seu cansaço, você não fuja, que simplesmente consiga chorar por um profundo respeito a si mesmo. E que deixe que o universo te afague, que a vida te acaricie, que um poder superior te ouça e dê o colo que você precisa... E que possa acordar com a boa notícia que espera. Porque você merece comemorar mais uma vitória. Você merece sorrir com seu coração.”
Martha Medeiros.



Um bom feriado a todos.


11 novembro 2012

Gosto


"Gosto de quem entende o que eu digo. 
De quem escuta o que eu penso. 
Da minha prole. 
Dos meus discos. 
Dos meus livros. 
Da minha solidãozinha. 
Dos meus blues. 
Do meu umbigo. 
De unhas cor de carmim. 
De homem que sabe ser homem. 
De noites em claro e dias em branco.
De chuva e de sol. 
Eu guardo as minhas rejeições em vidrinhos 
rotulados com o nome deles. 
Eu sou mole demais por dentro 
pra deixar todo mundo ver. 
Eu deixo pra quem eu acho que pode comigo." 

(Fernanda Young)






09 novembro 2012

Ilusão



Deixar fazer

que sonhar é infinito
e o desejo se desdobra
em atos e aquarelas
que o querer é fugaz
é sede de mais sede
arder
deixar passar
que o dia cobre o dia
que recobre o outro
que o modelo é o avesso do erro
e viver é pouco mais
que a ilusão.


Rosana Chrispim



06 novembro 2012

Tomara...


Tomara que a gente não desista de ser quem é 
por nada nem ninguém deste mundo. 
Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso. 
Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades. 
Que friagem nenhuma seja capaz de encabular
 o nosso calor mais bonito. 
Que, mesmo quando estivermos doendo, 

não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria. 


Ana Jácomo



04 novembro 2012

Ausência



Pela marca que nos deixa 
A ausência de som que emana das estrelas 
Pela falta que nos faz 
A nossa própria luz a nos orientar, 
Doido corpo que se move 
É a solidão nos bares que a gente frequenta, 
Pela mágica do dia 
Que independeria da gente pensar. 
Não me fale do seu medo 
Eu conheço inteira sua fantasia 
E é como se fosse pouca 
E a tua alegria não fosse bastar. 
Quando eu não estiver por perto 
Canta aquela música que a gente ria 
É tudo que eu cantaria 
E quando eu for embora você cantará...


Oswaldo Montenegro


Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.