.

.

28 fevereiro 2013

Amor além da vida



Um sentimento vai
Além da vida pra dizer
Que nunca é tarde pra tentar
Um grande amor então viver

Já fui ferido,
Também chorei, posso entender
Mas esse amor além da vida
Vamos viver
Eu já fui teu sol, fui teu luar
Dei tudo de mim pra te convencer
De que eu sou o amor e parte de mim
Pertence a você.
Mil vidas de amor pra continuar
Tentar ser feliz sem fazer sofrer
De volta ao que eu sou, eu renasci
Pra te merecer...


Paula Fernandes



25 fevereiro 2013

Quando encontrar alguém...



Quando encontrar alguém 
e esse alguém fizer seu coração 
parar de funcionar por alguns segundos, 
preste atenção: 
pode ser a pessoa mais importante da sua vida.
Se os olhares se cruzarem e, neste momento, 

houver o mesmo brilho intenso entre eles, 
fique alerta: 
pode ser a pessoa que você está esperando 
desde o dia em que nasceu.
Se o toque dos lábios for intenso, 

se o beijo for apaixonante, 
e os olhos se encherem d’água 
neste momento, perceba: 
existe algo mágico entre vocês.
Se o primeiro e o último pensamento 
do seu dia for essa pessoa, 

se a vontade de ficar juntos 
chegar a apertar o coração, 
agradeça:
Deus te mandou um presente: 
O Amor.




23 fevereiro 2013

O que me interessa...



[…] porque, para mim, pessoas que me interessam,  
pessoas mesmo são os loucos, 
os que estão loucos para viver,
loucos para falar,
loucos para serem salvos, 
que querem tudo ao mesmo tempo, 
aqueles que nunca bocejam 
e jamais dizem coisas comuns mas queimam, 
queimam, queimam, 
como fabulosos fogos de artifício, 
explodindo como constelações 
em cujo centro fervilhante
 se pode ver um brilho intenso.

Jack Kerouac



20 fevereiro 2013

Amor Pacífico



Não quero amor
que não saiba dominar-se,
desse, como vinho espumante,
que parte o copo e se entorna,
perdido num instante.
Dá-me esse amor fresco e puro
como a tua chuva,
que abençoa a terra sequiosa,
e enche as talhas do lar.
Amor que penetre até ao centro da vida,
e dali se estenda como seiva invisível,
até aos ramos da árvore da existência,
e faça nascer
as flores e os frutos.
Dá-me esse amor
que conserva tranquilo o coração,
na plenitude da paz!

Rabindranath Tagore


18 fevereiro 2013

Se eu fosse...



Como se a terra corresse inteirinha atrás do rio,
a seguir serras e vales num enorme caminhar,
eu vejo a imensa saudade escorrer-se sobre mim.
Sei de onde ela partiu. Não sei onde vai chegar.

Como se o rio voltasse todo ao encontro da terra,
e, num abraço apertado, inundasse a solidão,
eu sinto a minha saudade, penitência dos aflitos,
desesperar-se. E, aos gritos, mergulhar na imensidão.

Se eu fosse a terra, eu cumpria meu destino de ser leito.
Se eu fosse o rio, eu seguia meu destino de ser mar.
Eu não sou terra nem rio. Sou um barco de papel!
Onde vai, pois, um barquinho de papel a navegar?

Kátia Drummond


Imagem 1 Itaguaçu por Karla Poch
Imagem 2 Itaguaçu por Amoflorianopolis.wordpress.com

16 fevereiro 2013

Durma agora...




Durma agora, durma agora
fala meu inquieto coração
a voz chora: "durma agora"
É se faz ouvir no meu coração.

A voz do vento
se ouve na porta
Oh durma, para esperar a primavera
que está chorando: "Durma agora".

Meu beijo trará a paz
E aquietará o coração
Durma agora em paz.
Oh inquieto coração.

James Joyce


15 fevereiro 2013

Como a terra ou como um rio...




Como se a terra corresse inteirinha atrás do rio,
a seguir serras e vales num enorme caminhar,
eu vejo a imensa saudade escorrer-se sobre mim.
Sei de onde ela partiu. Não sei onde vai chegar.

Como se o rio voltasse todo ao encontro da terra,
e, num abraço apertado, inundasse a solidão,
eu sinto a minha saudade, penitência dos aflitos,
desesperar-se. E, aos gritos, mergulhar na imensidão.

Se eu fosse a terra, eu cumpria meu destino de ser leito.
Se eu fosse o rio, eu seguia meu destino de ser mar.
Eu não sou terra nem rio. Sou um barco de papel!
Onde vai, pois, um barquinho de papel a navegar?

Kátia Drummond


13 fevereiro 2013



Serei tão secreta
como o tecido da água

e tão leve

e tão através de mim deixando passar
toda a paisagem

e todo o alheio pecado
do gesto, da presença ou da palavra

que logo que a tua mão me prenda
me não acharás:

serei de água.


Glória de Sant´Anna



12 fevereiro 2013

Hoje..



(...) Hoje eu vou brincar
De ser criança
E nessa dança quero encontrar você
Distraído, querido
Perdido em muitos sorrisos
Sem nenhuma razão de ser
Olhando o céu
Chutando lata
E assoviando Beatles na praça
Olhando o céu
Chutando lata
Hoje eu quero encontrar você distraido...

Zélia Duncan e Christiaan Oyens



09 fevereiro 2013




É na areia que está o meu carnaval,
é no mar que estão as serpentinas,
brancas ondas a quebrar na praia.
Aqui encontro a magia da poesia,
vestindo fantasia que a luz do sol irradia.

No meu carnaval não tem máscaras!
Tem rostos, tem corpos bronzeados
desfilando naturais alegorias na praia,
que vem do mar, que vem da areia
desfilando como netunos e sereias.

É a palavra que brinca na praia,
no balanço das ondas faz o samba enredo,
o carro abre alas é um navio pirata
assaltando um coração dominado
pela solidão que na areia virou confete.

Sônia Schmorantz


05 fevereiro 2013

Conta pra mim


Conta pra mim de onde a gente se conhece. 
De onde vem a sensação de que sempre esteve aqui, 
quando eu sei que não estava. 
Conta por que nada do que diz sobre você
não me parece novidade, 

como se eu estivesse lá, nos lugares que relembra, 
quando eu sei que não estive. 
Conta onde nasce essa familiaridade toda com os seus olhos. 

Onde nasce a facilidade para ouvir a música 
de cada um dos seus sorrisos. 
Onde nasce essa compreensão das coisas que revela quando cala. 
Conta de onde vem a intuição da sua existência 

tanto tempo antes de nos encontrarmos.

Ana Jácomo



03 fevereiro 2013

O tempo passou



O tempo passou e você nunca chegou
Por tanto tudo tem que ser esquecido
Por não ter sido vivido
Apagar uma lembrança
De um passado que nunca existiu.
É tão frustrante ter que te esquecer!
Sem nem te conhecer
Ter que esquecer-me
De um toque que nunca aconteceu
Não, não é esquecer!
Na verdade é me desfazer de um desejo
Cancelar um sonho que não se tornará real
Extinguir a fragrância que fantasiei de ti
Pedi parte de mim, que nem ao menos conheci.
Ah! Não conheci teus braços
Não me envolvi em teu abraço.
Teus olhos, eu não pude ver.
Não parei diante de você.
É, foi isso que vivi!
Uma fantasia de ti.

Enide Santos


Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.